Skip to content

4º Raid BTT “Rota dos Melões”

Segunda-feira, Julho 25, 2011

4º Raid BTT “Rota dos Melões” em  Vila Seca – Barcelos

 Apúlia, 24 Julho 2011

Pela primeira vez, participamos numa prova de btt, por nossa conta e risco, ou seja: dos dez ddr, só quatro se inscreveram atempadamente antes da última semana, os restantes seis como bons portugueses deixaram tudo para a ultima hora e foram surpreendidos pela organização, quando tentaram inscrever-se no dia 18, ao não aceitarem mais inscrições, por terem atingido o limite das 400

Como tínhamos “agendado”, participar na Rota dos Melões, assim no dia 24 comparecemos em Vila Seca, ainda na vã esperança de aceitarem a nossa inscrição ou preencher a vaga de alguém que falhasse à última da hora, não foi possível, resolvemos então participar à mesma por nossa conta, arrancando cinco minutos antes da partida com o propósito de mais à frente parar e prosseguir depois atrás do pelotão

Paramos em Fornelos e aproveitamos para incitar (ou assustar?), os nossos companheiros legais, antes passaram primeiro o x-par  Celestino, a seguir os ddr`s Paulo F e o Nelson, depois os x-par`s Cunha em alto speed a correr atrás do prejuízo a ultrapassar tudo e todos por ter arrancando muito atrás da linha da partida, o Pierre e o Vasco, de seguida mais dois ddr`s Chico e o Ivo, começava a ser areia demais para a nossa camioneta, ver passar tanta gente e nós ali especados sem fazer nada, não podia ser, o nosso lugar era lá na confusão, os ciclistas continuavam a passar a bom ritmo, eis que surge uma “aberta”, a oportunidade que estavamos à espera e aí vamos nós agora a sério fazer a rota dos melões embora “ilegais”, mas sem culpa, a organização é que se pôs a jeito ao não nos legalizarem dentro dos prazos estabelecidos nos regulamentos, como pretendíamos

Pedalavamos em grupo pelos single-tracks da beira rio, parando amiúde, por causa dos engarrafamentos, quando encontramos um ddr legal, o Ivo, a contas com um problema mecânico, de pronto paramos para resolver o problema com o chefe armado em mecânico a mexer na Cannondale até ficar em condições de prosseguir e salvar a honra do grupo com mais um nome na classificação final

Chegamos à divisão dos 30/60kms, umas simpáticas meninas ofereceram-nos, umas laranjas e garrafas de água, ora como não tínhamos direito ao reforço, mas é má educação rejeitar, aceitamos e agradecidos continuamos pois tínhamos ainda muito trabalho pela frente

 O  “trãnsito” fora intenso até à divisão, continuou pelo percurso dos 30 e quase desapareceu pelo de 60 e, lá fomos nós com todo o caminho livre, a “brincadeira” tinha terminado e compenetrados dávamos-lhe rasgadinho, com alguns enganos à mistura, num desses enganos em Rio Tinto, o grupo partiu-se em dois: Filipe, Milo e César continuaram eu levei o Futre pelo caminho errado, voltamos para trás, mas os três tinham-se pisgado das nossas vistas

De longe a longe avistavam-se alguns ciclista, acabando por serem ultrapassados pelo nosso ritmo certinho sempre a dar-lhe, foi assim até ao final, claro que se o Futre não estivesse ainda a recuperar das mazelas sofridas e de uns kilinhos a mais, eu estaria sozinho e ele estaria com certeza  lá na frente a dar luta aos primeiros trinta, quiçá aos primeiros vinte

Depois de nos esforçarmos a sério fazendo tudo igual como os legais, foi estranho passar pela primeira vez das dezenas e dezenas de provas em que já participamos, pelos pontos de controle sem dorsal e sermos olhados de soslaio quando chegamos ao final, como se fossemos aves de rapina, mas, repito: a culpa não foi nossa e demais a mais, bem vistas as coisas a organização até devia agradecer-nos pelo prestígio da presença dos Duros De Roer, sugiro mesmo que para o ano nos ofereçam convites eh,eh,eh

Foi uma boa prova, bastante técnica no principio, com o ponto alto, nos trilhos espectaculares da margem do rio Cávado e ao contrário do que fazia prever a altimetria – um ponto a rever pela organização com dados mais concretos -, mais duros nos primeiros 15kms do que na parte final  e já que estamos a falar dos pontos a melhorar, a “entrada” nos single-tracks da beira rio, só devia acontecer mais para o meio da prova, para evitar os engarrafamentos sempre aborrecidos, de resto esteve tudo ok

Parabéns “Amigos por Natureza”, continuem com a Rota dos Melões, que é já um must do BTT, como bem o prova o numero crescente de atletas de ano para ano

Parabens aos nossos quatro duros pelas execelentes classificações:

Paulo Fernandes 20º; Nelson Miranda 24º; Francisco Ferreira 38º e Ivo Carvalho 64º

E aos seis ilegais que apesar de tudo deram o litro até final:

Filipe Torres; Narciso Ribeiro; César Nogueira; Filipe Correia(Futre), os azarados: Emilío Hipólito e Bruno…

Parabens também para os X-par`s pelas classificações de topo a que já nos habituaram   

As classificações dos Duros De Roer legais e ilegais:

Algumas fotos neste site:

https://www.facebook.com/profile.php?id=100000480931003#!/media/set/?set=a.2234261063938.2133822.1470279411


One Comment leave one →
  1. francisco permalink
    Quarta-feira, Julho 27, 2011 21:49

    Foi uma prova sofridinha na medida em que eu e o Ivo saimos na fila dos ultimos e com os engarrafamentos em Fornelos não dava para fazer mais. Ai se arranca-se na fila da frente, nem quero pensar nos estragos que ia fazer na classificaçao final.
    Um abraço a todos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: