Treino amalucado

Sabado dia 04-02-2012 no pavilhao da escola em Apulia pelas 18:00 vamos defrontar o 1º classificado, vem dar o teu apoio como Apuliense.
Vamos estar todos os Apulienses a apoiar o nosso Futsal, unico no concelho e não te esqueças trás contigo um amigo, precisamos do apoio de todos.Obrigado

                                                                                                                                                            

Vídeo de: Francisco Ferreira

Para veres o vídeo do treino carrega AQUI

 Cais fluvial, um local da freguesia de Vitorino das Donas, situada na margem esquerda do rio Lima, a oito kms do concelho – Ponte de Lima -, foi o local escolhido para iniciar o treino deste domingo, pela fantástica ciclovia que começa em Viana e termina em Ponte da Barca, um estradão de terra batida ao longo do rio, talhada  para quem gosta de sentir “pica” com bikes btt
Às 09h40 – hora do começo da pedalada -, só dois elementos é que despiram os casacos, como que a adivinhar o que aí viria, os restantes continuaram com eles vestidos renitentes em despi-los por causa do frio – em sítios mais sombrios ainda se viam mantos brancos da geada noturna – mas, depressa se arrependeram porque o aquecimento foi rápido: o ritmo imposto pelo Chefe, logo no início, foi…diabólico
Virados a montante do rio, de Donas a Ponte de Lima, foi num instante que chegamos à avenida dos Plátanos e ainda tivemos tempo de passar revista às tropas romanas petrificados na margem do rio – esperamos brevemente mostrar as imagens em vídeo gravadas pelo nosso incansável cameraman Chico -, se até aqui quase toda a gente já conhecia o trajeto, até Ponte da Barca  era terreno totalmente desconhecido de todos. Agora podemos dizer que é a parte mais bonita da ciclovia pela sua beleza natural, com vista para os inúmeros açudes no rio, com algumas subidas fáceis de transpor, deu-nos um gozo do caraças “assapar” a fundo, ainda que, para mim e o Milo, tivesse custos físicos dolorosos com dois valentes trambolhões, cada um “melhor”  que o outro quando na volta de Ponte de Barca malhamos com tudo em cima dum passadiço que mais parecia uma pista de gelo
Foram 52kms – 26 kms para cada lado -, bem pode dizer-se: loucos, sempre de prego a fundo, contagiados pela harmonia do percurso, com picos de velocidade a rondar os 44km/hora, e, então na parte final com o grupo partido em vários, formou-se na frente um tridente de ataque composto por: Paulo Fernandes (que já por lá andava à treinar com o Carlos da bike zone Barcelos, cada um com a sua roda 29”) e o Filipe com a zirinha Trek, foi arrasador chegando a Ponte de Lima sem nenhum deles ter descolado
Hoje foi assim, deu-nos para a maluqueira, esperemos que na próxima vez tenhamos mais calma (tretas), para apreciar melhor esta ciclovia percorrida por:
Filipe, Chico, Berto, Ivo, Milo, Narciso, Paulo Fernandes, Nelson, César, Pedro e Carlos (bike zone Barcelos)

Noticíasddr…com algum nexo:

– Este treino foi tão intenso que quando chegamos ao ponto de partida, dois elementos continuaram a pedalar por pixe com a intenção de chegarem a Apúlia o mais rapidamente possível, enquanto nós ficávamos para trás a carregar as burras p`ra carrinha. O Berto ao fim de dois kms, desistiu porque não conseguiu apanhar o Chico que, dois kms à frente pedalava a um ritmo furioso. Ao chegar próximo dele conseguimos dissuadi-lo a desistir dos seus intentos, subiu p`ra carrinha e fomos  tomar um Martini

– Numa pausa em Ponte de Lima, o Ivo tentou por várias vezes explicar porque estavam as tropas romanas embasbacadas a olharem para o rio mas, a rafeirada comandada pelo chefe estava mais interessada nas “saias” dos romanos vistos por trás, pelo que foram infrutíferas todas as tentativas do Ivo para enriquecer o nível cultural da rafeirada

–  De assinalar o regresso do Pedro Coelho, que desde o dia 16 de Outubro tem andado arredado dos treinos ddr`s

–  E o mérito do Nelson que o trouxe o Pedro desde Viatodos

– Se estiveres para aí virado e quiseres saber mais sobre ciclovias e ecovias carrega AQUI

– Depois do treino de hoje ficou assim ordenado o Campeonato da Cambalhota:

– Milo              1 cambalhota  – 10 pontos
– Narciso        1 cambalhota  – 10 pontos
– Paulo Pinho 1 cambalhota  – 10 pontos
– Tóze            2 cambalhotas – 5, 5 pontos
– Chico            1 cambalhota – 4,5 pontos
– Ivo                1 cambalhota  – 3 pontos
– Mota             1 cambalhota  – 0,5 pontos (forreta)

Treino de Domingo

ATENÇÃO DDR`s: DOMINGO O TREINO COMEÇA ÀS 08H30 NO SITIO DO COSTUME (CAFÉ RAFAEL)

filmado por: Bruno Monte

arranjos de: Francisco Ferreira

Video do treino de Domingo Carrega AQUI

Para quem gosta de andar de bicicleta pelo meio da natureza como nós, é bom desfrutar de dias de Sol no Inverno como o de hoje, sem termos de aguentar com o desconforto dos pés e mãos gelados quando chove ou faz frio nos dias de treino
Com mais gente, que os três do ultimo domingo, desta vez o grupo foi dez ddr`s – Filipe, Chico, Milo, Berto, Rui, Nelson, César, Bruno, Tóze e Narciso –, com a habitual dose (qb) de loucura do Chico a comandar a boa disposição do maralhal, enquanto pedalavamos pelos carreiros de areia dos pinhais da costa, dos caminhos de Criaz e Caulinos, ou dos vales de erva enlameados de  Barqueiros/Cristelo e das subidas e descidas a cheirar a downhill no monte Vilar em Vila Seca, foi mais ou menos assim a manhã deste domingo que serviu também com constantes picanços para testar a forma física, do agora famoso 49 do Marã, o Nelson, e, meus amigos pelo que se viu hoje, cuidem-se porque o Nelson está de volta, aquelas andanças a pé pelo Marão, além de o tornar conhecido internacionalmente, fez-lhe muito bem fisicamente
Ainda em Vila Seca fizemos uma escala técnica em casa dos pais do Rui para comer laranjas e matar o bicho com um vinhinho do Porto, onde o Nelson e o Chico tiveram a lata, a desfaçatez de gastar água a lavar as burras pensando que dali até final, seria só pixe, tiveram azar, pois de seguida metemos por caminhos de Rio Tinto/Fonte Boa cheios de lama, terminando o treino com as burras a galope pelo meio das muitas poças de água no caminho de Paredes/Fão, com o Bruno a comandar o lançamento de bazucadas de água lamacenta através da burra trek  para cima dos mais desprevenidos e, por causa disso às duas por três estávamos todos a atacar… todos, até terminar a batalha todos molhados, mas com o dever cumprido por esta missão enlameada ser mais um  êxito à ddr

Resenha de noticias:
– O Tóze, ao fim de poucos kms teve de abandonar o treino sem ter aquecido – nobless oblige
– O Paulo Fernandes – já sabíamos – foi subir a vacariça com a equipa de pixe de Navais
– O Futre, é possivel que tenha falhado o treino por estar a contas com os efeitos colaterais do jantar de ontem com o tal capitão Almendra, que afinal não deve ter comparecido por estar no Afeganistão
– O Hélder depois de o vermos no Sábado compenetrado a plantar esteios  e a xapiscar na sua propriedade, calculamos que hoje falharia o treino por excesso de xapiscanço
– O Berto, acordou o Mota via telemóvel, só para lhe perguntar se estava a dormir – bom, isto não é noticia mas tinha de ser dito                                                                                                                                    – De assinalar o regresso  em força do Nelson o celebérrimo 49 do Marão a entrar rapidamente na linha
– Começou este mês o campeonato ddr`s da cambalhota, com as regras ainda a definir. Neste momento vai na frente o Tozé com uma cambalhota que lhe valeu 5 pontos, seguido de perto pelo Chico tambem com uma cambalhota e 4 pontos e meio
– Para terminar os parabéns ao nosso ponta de lança Paulo Fernandes pelo 33º lugar na prova de btt XCR,  3 horas de resistência  em Gião Vila do Conde

O treino do trio

O treino do trio

NEM K KAIA – a elite dos ddr – apresentou-se no Rafas, com três elementos dispostos a fazerem um treino decente, independentemente do estado da meteorologia que, depois de uma noite chuvosa,  forneceu bom tempo, bem agradável para o pastoreio das burras pelo meio dos pinhais e ravinas pedregosas.

Arrancamos depois da hora, na esperança que aparecesse algum retardatário, mas não apareceu e a equipa foi mesmo de três elementos

Numa pedalada qb , dirigimo-nos p´ros lados de Vila Chã/Antas, com as Colueres a olharem de soslaio para a Ramson, esta como habitualmente sem muita predisposição para as subidas. Ao mesmo tempo que pedalavamos conversávamos sobre  assuntos arquivados na memória de tempos não muito distantes, assuntos muuuiiiuito interessantes: as mundanas aventuras de dois marujos de quando marinharam pelo mundo, recordando com alguma nostalgia a envolvência que as escalas “técnicas” acarretavam para o fisico em cada porto  e, os temas eram tão interessantes, tão ricos em pormenores que reduzimos as pedaladas p´ro minimo. Tambem falamos sobre construção civil  pois então, o César não podia ficar de fora e tambem rebuscou bem o arquivo, e, assim continuamos durante todo o treino ora a dar ao pedal radicalmente quando havia terreno para isso, ora a remexer no baú de memórias depois de termos passado pelas ribanceiras escorregadias de Palmeira e  Vila Chã e continuado por trilhos até à pedreira da Abelheira e descida pelo estradão da Snra da Paz

Fizemos quase 40kms e ainda sobrou tempo para fazer mais uns quantos mas optamos por regressar a tempo e horas, para tratar do gesso com tempo e requinte antes do almoço. Regressamos por Cepães e marginal de Esposende,  até estacionar as mulas em Apúlia city

Sempre que vamos à Ilha, é incontornável; temos que associar o Rei Filipe Correia a este território, desta feita como não estava, convidamo-lo via telefone a tomar o pequeno-almoço connosco  – tinha acabado de sair da posição horizontal -, convite a que não se fez rogado e compareceu à chamada no ilhas`s bar passado poucos minutos para nossa satisfação mas com alguma decepção  da parte dele por o Bruno não estar presente, porque seria?
Um treino decente  protagonizado pelo trio de elite:

HELDER, CÉSAR e NARCISO

Alguém disse: “A vida não se mede pelo número de vezes que respiramos, mas pelos extraordinários momentos que passamos juntos”

Ainda o Marão:

Neste link  do facebook dos bilabikers há fotos expetaculares da prova do Marão

vídeo de Tó Tiago dos bttfozcoa

Atenção ao minuto 18 com o ataque fulminante do Berto

Um pouco fora do contexto, mas mais vale tarde do que nunca, aqui se publicam as fotos do jantar de Natal e a entrega de diplomas aos novos ddr`s  e ao Futre que só agora surgiu a oportunidade depois de estar ausente na Córsega

fotos de Francisco Ferreira:

MARÃO – IX BTT DE INVERNO

(foram acrescentadas mais algumas fotos)

Os ddr`s participaram pela segunda vez, no BTT DE INVERNO, na serra do Marão, em Vila Real de Trás-Os-Montes e, se no ano passado esteve mau tempo, este ano o dia esteve esplendoroso, ainda bem porque assim podemos admirar todo o esplendor que a serra nos ofereceu

Onze ddr´s fizeram-se à estrada às 07h25, chegamos a tempo de nos equipar pôr os dorsais e já não houve tempo para tomar um cafezito, porque às 09h30 foi dada a partida

Ao km 3, o primeiro contratempo; a Mondraker ficou sem tração, ficamos os dez ddr`s – o Paulo ía na frente -, especados em volta da burra, a ver a banda a passar até ao ultimo tocador e foi graças ao esforço do Bruno, que ao fim de vinte minutos, podemos continuar a pedalar os mesmos dez, atrás do prejuízo

Ao km 25, o reforço, e, lá se foram mais 25/30 minutos mas, desta vez o tempo perdido foi por uma boa causa: atacar a febra e o tinto, foi a segunda vez que vi o grupo tão despreocupado em retomar a partida – a outra foi no ano passado também no reforço -, o local era aprazível, mais uns copitos de tinto e até eramos capazes de dormir ali a sesta mas, tivemos de continuar no duro sempre a subir extasiando-nos a cada momento com as belas paisagens e o efeito das nuvens ao fundo da serra perfuradas pelas torres eólicas

Por esta altura o grupo dividiu-se em dois: sete ddr piraram-se e fiquei eu e o Futre – nunca abandonamos um dos nossos em dificuldades -, em missão humanitária, para apoiar, ou martelar? A cabeça a um elemento que continuava com problemas fisícos nas dobradiças dos musculos

O horizonte continuava limpído, com temperaturas amenas para esta altura do ano, esta maratona de 46kms, decorreu por bons estradões, com a descida mais radical a acontecer aos 1400m altitude, km 35

Esta prova a que muitos teimam, na minha opinião, erradamente a chamar de passeio, além do prazer que nos proporcionou pedalar pelos magníficos estradões da serra do Marão, serviu também para testar até que ponto os excessos das festas de fim de ano, danificaram o físico dos ddr.

No final os indicadores mostravam que a moral e boa disposição estão em alta, quanto ao físico está muito bem assim neste apuro de forma, não é preciso mais para os nossos objetivos, contudo houve um elemento que bem pode dizer-se passou as passas do Algarve, depois de ter estado três semanas sem treinar e, meus amigos quando assim é, tratando-se de uma prova com as carateristicas deste BTT DE INVERNO, não há milagres, ainda por cima com uns quilitos extra bem aviados em cima da burra, não foi fácil ter aguentado toda a prova em sofrimento, com os músculos num farrapo, O Nelson foi um autêntico herói, pela tenacidade demonstrada em não ceder à tentação de desistir mesmo quando viu os bombeiros, prosseguiu até final e foi bem visível o estado calamitoso em que se encontrava à chegada quando se atirou para a chão cheio de dores, até rodopiou, quando eu e o Futre o quisemos ajudar, com o estupor do Tóze a assistir à cena e a rir até não poder mais

Parabéns Nelson foste um autêntico duro de roer

Outro herói desta jornada, foi o Bruno por duas razões: a primeira, se não fosse a sua “oficina” reparar a bombardeira Mondraker logo no inicio, o Futre teria uma prova bem mais curta e embora fosse o primeiro a chegar à meta, teria de gramar umas horitas a secar à espera do maralhal. A segunda razão: depois de ter fornecido os elos de engate para que a burra continuasse em prova, ainda teve de suportar os ataques azacrinados do Futre durante toda a viagem de regresso. Só um gajo com tomates como os do dono do dorsal 46 é que aguenta tudo sem retaliar, embora à chegada ameaçasse: “nem mais um elo de engate para o ingrato do Futre” e é muito bem feito

O terceiro herói foi o grande ddr Paulo Fernandes que alheio a todas as manobras de bastidores, partiu na frente só parando no final num brilhante 8º lugar da classificação geral, salvando assim a honra do convento dos ddr. Parabens Paulo F

Foi uma bela jornada de bicicletas todo terreno, foi um prazer pedalar por entre paisagens deslumbrantes, que poucos têm o privilégio de admirar e desses fazem parte os amantes de btt, desta vez com o tempo a compensar-nos pelo mau tempo do ano anterior

Foi pena a chatice da falta de água para o retemperador e desejado banhinho no final, a organização já tinha falhado o ano passado e agora voltou a falhar

Apesar de todos os azares logo no inicio, entre 328 bttistas à partida, mais os que se inscreveram na hora, todos os ddr´s ficaram nos primeiros 197 lugares, quem diria?

Foi um dia bem passado, bem divertido

Dedicamos este dia aos ddr´s que não puderam estar presentes e aos que estão fora do país e à memória do nosso companheiro que nos deixou há poucos dias: EMILÍO COELHO

Os ddr`s que Marãozaram:
FILIPE, TINO, MILO,BERTO,FUTRE,PAULO FERNANDES, NELSON, CÉSAR,BRUNO, TÓZE e NARCISO

Obs: além destas há mais fotos na página do facebook

fotos de: Narciso Ribeiro, Tóze e André Ferreira