Skip to content

Pelos Trilhos da Maria da Fonte e da Comprida 130

Segunda-feira, Março 19, 2012

Pelos Trilhos da Maria da Fonte 2012

Sempre que pego na burra, para dar umas curvas, quer de dia ou à noite, é certinho ouvir esta ladainha: “nunca mais ganhas juízo”, sinal evidente que está tudo ok! Estou tão habituado a esta música que quando não a ouço, fico preocupado.

Porém, no Sábado de manhã, a música foi outra, não só por durante a semana ter sido vítima de ataque fulminante ao meu precioso sistema imunológico, por um bando de vírus cobardes, parasitas ókupas constipadores, mas também por causa do tempo invernal: “Se tivesses um pouco de juízo, ficavas em casa e na cama”, na realidade a letra pouco mudou e a música acabou por ser a mesma, no entanto a minha sócia desta vez até tinha um bocadinho de razão

Durante dois dias ripostei ao ataque dos ókupas, com intenso bombardeamento farmacológico, e, animado com as baixas que infligi ao inimigo, a esperança de participar nos “VIII Trilhos da Maria da Fonte”, tinha renascido depois de a ter dado como perdida.

Como sempre, fiz orelhas moucas ao “se tivesses juízo…”, e, na manhã chuvosa de Sábado, juntei-me aos três cavaleiros ddr`s: FILIPE, BERTO, CÉSAR  e apresentamo-nos na Póvoa de Lanhoso dispostos a roer tudo o que nos aparecesse pela frente

Já lá se encontravam grandes equipas a fazerem voltinhas de aquecimento: os “Arejar o capacete”, os “Amigos do caneco”, os “Monkeyfullpower(o poder dos macacos)” . Outras equipas de nomeada continuavam a chegar: “Câibras team”, os “Rola EsToNa-Te” …uhum… deve ser uma equipa complicada. A nível individual, estava “O puto”, o “A”,  o “Tounaroda”, só para citar estes. Quando chegou a associação de btt os “Rôtos”, ficamos apreensivos: qual a estratégia a adoptar caso  tivéssemos de ultrapassar esta peculiar equipa? Depois chegaram os “Cudorido”….,  porra, era areia de mais para a nossa camioneta, fomos para a meta, fomos que é como quem diz: foram só três, cá o rapaz claudicou na hora H, à instabilidade meteorológica com medo de apanhar uma molha, dando deste modo vantagem à bicheza constipadora que não deixaria de aproveitar a benesse e se reorganizaria para contratacar o sistema com mais violência – noutras circunstâncias estava-me borrifando p`ro tempo como aconteceu no ano passado

Foi uma desilusão de todo tamanho ver aquelas burras bonitas montadas a correrem p`ro monte e eu ficar ali especado com cara de fodido e, mais fodido fiquei, quando logo após a partida o tempo melhorou. Que fazer então enquanto os três “durosderoer”, não voltavam do campo de batalha? “que se lixe, vou à luta”. Vinte minutos depois, aí vou eu com a minha mula a galope, a tempo de ainda enxergar lá ao longe os últimos bttistas

Já tinha ultrapassado uns quantos bikemen, as convulsões tussicas obrigaram-me a frear um pouco o andamento da mula. À entrada para um track reparo numa tabuleta que dizia: Rua do Põe-te a pau – premonitório este “aviso” -, continuei na boa a trepar pelo magnifico estradão de terra molhada, uma descida até uma aldeiazita e novo trilho a subir, este bem durinho,  pedalava praticamente só, por trilhos à btt, bem divertidos, até chegar ao ponto mais alto do trajeto e com a melhor vista panorâmica, segundo me informou um bikeman sem dorsal – mais tarde soube que se tivesse descido um pouco encontrava o reforço -, parei estava no limite do meu raio de acção, sentia os tinhosos dos ókupas a agitarem-se. A minha vontade era continuar, pouco me importando que os três ddr, esperassem por mim o tempo que fosse necessário para lhe abrir a porta da carrinha.

Prudentemente voltei para trás, apesar de tudo, continuei a divertir-me. Ao fim de alguns kms apercebo-me que estou rodeado de  jipes por todo o lado. Era o  “6º passeio TTlanhoso”, que por ali andavam na mesma pista dos Trilhos da Maria, em manobras e evoluções. Ofereci a ajuda da minha burra para rebocar um TT, em dificuldades para transpor uns obstáculos. Educadamente o condutor rejeitou. Gosto desta malta dos TT

Os trinta e um kms, que fiz pelos Trilhos, deram para amenizar um pouco a frustração de não ter completado na integra a parte mais espetacular do trajeto, como contaram depois os três ddr`s. Ainda bem que não caí na tentação de prosseguir, porque, hoje, Domingo, tive que lançar mais uma bomba para dispersar os vírus parasitas, ókupas,  filhos-da-puta, que animados pela “abébia” que lhes dei ontem teimam em derrubar-me

Cheguei à meta em…terceiro lugar, lavei a rica e por lá fiquei à conversa com o Nuno Martins dos “Amigos da Montanha” de Barcelos, esperando a chegada dos heróis felizardos que tiveram a sorte de fazerem os melhores Trilhos da Maria da Fonte de sempre

18  Março  POVOA 130

Hoje, foram seis os “durosderoer”, que entraram em acção: três na prova btt de 130km “PÓVOA  130”  e três na de 70kms.

Nesta prova dos 130kms, todos dignificaram a camisola ao mais alto nível: PAULO FERNANDES, FUTRE  e NELSON, parabéns a todos,  mas temos que destacar o excelente terceiro lugar  do  PAULO FERNANDES em  master B, que só foi superado por dois ex profissionais do ciclismo nacional de estrada o que ainda valoriza mais o  3º lugar no podium

Na prova dos 70kms, os parabéns ao TÓZE, que está um autêntico foguete, ao César…. bom… ao César tambemmmmmm, quanto ao Milo não sei o que aconteceu!! Aparece nas fotos. Será que desapareceu em combate? Um caso a seguir com atenção.

Parabéns a todos: aos da Maria e aos da comprida 130 e 70, menos ao gajo que voltou para trás

2 comentários leave one →
  1. francisco permalink
    Terça-feira, Março 20, 2012 22:15

    Parabens aos DDR que participaram nestas duas excelentes provas.
    Sei que foram as 2 bem duras, uma devido ao terreno montanhoso na Povoa de Lanhoso, mas sempre bonita e a outra pelos km a percorrer 70 e 130 km esta com passagem por Apulia. Parabens a todos que participaram, 1 abraço a todos.

    Gostar

  2. Milo permalink
    Quarta-feira, Março 21, 2012 11:24

    Pois é Narciso!
    Tu foste mais coerente que eu. Não fizes-te a prova e evitas-te males maiores. Eu com a ajuda da medicação apanhei-me melhor e pensando que os caminhos estariam sem àgua tentei a minha sorte, e dei-me mal, ao fim de trinta minutos estava encharcado com suores frios e dificuldade em respirar. Resultado, agravamento da situação e dois dias me má disposição.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: