Sete ddr no Portela 7

Portela 7       (Já podem ver o vídeo dos trilhos do Portela 7, na barra do lado direito)

Não é novidade para quem nos conhece que, pontualidade e rigor, não fazem parte do vocabulário dos ddr`s quando saem de Apúlia para participar em provas ou eventos de natureza “bêtêtiana”.Somos imbatíveis na organização… bem desorganizada. O que é de admirar, é depois, com os inevitáveis percalços que sempre acontecem durante a viagem, à hora marcada estarmos no sítio certo

No Portela 7, não fugiu à regra, depois de esperar pelos retardatários…falta o…e  o outro já cá devia estar…Começou a aventura rodoviária: não é por aqui…temos de voltar para trás…já não me recordo por onde é…pergunta aí se é a estrada para Pias… estamos enganados…vira para trás…está quase na hora…é ali, é ali… e, mais uma vez, há hora exata, estávamos na linha da partida prontinhos para participar em mais uma edição dos trilhos da Portela, em Pias, uma localidade do concelho de Monção.

Na edição 7, foram também 7 os ddr`s, que se divertiram à brava pelos exigentes e técnicos trilhos da Portela

CHICO,  PAULO PINHO, TINO,  BERTO,  MILO, NARCISO  e TÓZE

Com tempo quente, mais parecendo um dia de Verão, os Trilhos da Portela tiveram duas partes distintas: A primeira parte foi sempre a subir a exigir muito do físico  até às eólicas com a altitude próxima dos 800m. Na segunda parte o percurso foi quase sempre por trilhos a descer muito técnicos

Os ddr`s  pedalaram quase sempre em grupo, menos o picador Milo – haveria de ser o protagonista do dia -, que se pirou na frente logo após a partida e só o voltamos a encontrar quando paramos para dar ao dente no reforço. Aqui reforçamo-nos bem, pois então, foi para isso que  paramos e, até assistimos a um numero extra, com um jipe a passar por cima de uma bike. Julgavamos que as subidas, tinham terminado ali, mas julgamos mal, continuamos a subir. Depois a primeira dose de single tracks e um intervalo forçado para os ddr`s, com mais de uma hora, quando o Milo ao km 18, forçou  o andamento da burra em demasia pelos tracks da 1ª floresta e partiu-lhe o “drop-out”, deixando-o apeado para o resto da Portela e, coisa rara, o grupo desta vez não se foi embora como é costume e voltou para trás num rebate de consciência para dar moral ao Milo até chegar o socorro. Não sem antes equacionar a hipótese de o deixar sozinho entretido com as vacas e os burros que por lá andavam a pastar, o Tino sugeriu mesmo que por castigo do que fez à mula e nos ter fugido no inicio, devia voltar para o reforço – km 16 -, e ficar por lá a partir cubinhos de marmelada, até passar o ultimo bttista, mas pronto como estavamos bem dispostos: optamos antes por ficar com o Milo, só para lhe picar os miolos, he,he,he

Aquela subida até à ultima eólica, com uma paisagem soberba , depois de tanto tempo parados, custou “comó” raio, depois oh, my friends, aqueles single tracks, mais apropriados para downhilleiros, mas que os ddr`s nunca rejeitam a carga por mais radicais que sejam, provocou uma autêntica descarga de adrenalina por aquela descida louca, a exigir tudo das burras e dos cavaleiros e muita fé para não capotar – no meu caso não valeu de nada, a malvada da minha burra não quis saber da minha fé e deu um pinote de propósito ao passar em frente de um fotografo, obrigando-me a fazer um belo aterranço em cima da terra empoeirada, para gaudio do fotografo que fartou-se de dar ao “gatilho”

Depois da descida maluca, continuamos ainda por mais um single/florestal o último do pacote do Portela 7 e de seguida foi rolar a toda a força para o local de onde tínhamos partido porque a barriguinha começava a dar horas

Repito: foi uma prova durinha, muito técnica na segunda parte. Exigiu muito do físico – em algumas partes do percurso só mesmo com as burras à mão -, os menos preparados sentiram na pele o esforço das subidas. Apesar da demora do socorro mecânico à burra do Milo, compreendemos que não é fácil naquele local chegar com a rapidez desejada, mas não duvidamos que se se tratasse de um  ferido o socorro seria mais célere. Nada a reclamar, isto é uma prova de btt

Foi uma bela  jornada de puro btt em que os sete ddr`s se divertiram a valer, até com os meus malhanços, pelos Trilhos do Portela 7

Parabens CCMonção

Algumas fotos tiradas por Narciso e Tóze:

PS: é provável que se publique uns vídeos do Portela 7, se os autores (Chico e Tóze), estiverem para aí virados – aguardemos

Carrega aqui para ver mais fotos no link do CCmonção

7 pensamentos sobre “Sete ddr no Portela 7

  1. DDR TOZE

    Aqui deixo os momentos mais marcante do passeio que acho que ninguém assistiu!!! ahahahahahahahahahahah kakakakakakakakakakakakakakakaka ahahahahahaha
    Vão ao facebock e vejam só o aterranço do Narciso!!!!! ahahahahahahahahahahahahaha
    Venha de la o video.
    Os DDR são o MAXIMO…

    Gostar

    1. Duros De Roer

      de NR
      Oh Carlos!
      A vida de um ddr não é fácil, sou diplomado. Agora ando a preparar-me para o mestrado
      e deixa que te diga, a continuar assim com testes fodidos, como os de P.Barca, Correntes e agora este na Portela, brevemente terei outro diploma, mas custa um bocado, uma pessoa tem de se dedicar de corpo e alma à causa e esfarrapar-se todo para o conseguir
      Um grande abraço

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s