“After” Luso Galaico 2012

After  Luso Galaico 2012

 Depois da montagem do arraial na semana passada, com fitas plásticas cor de laranja, embandeirando o percurso da maratona até S.Gonçalo, finda a festa, há que desmontar tudo novamente; livrar o meio ambiente de elementos nocivos, não biodegradáveis. Foi isso a que os ddr se propuseram hoje

Os enfeites permaneceram uma semana após terminado o Luso Galaico, por falta de disponibilidade de tempo e só hoje é que a brigada de limpeza composta por: Filipe, P.Pinho, Berto, Ivo, Hélder, Rui, Milo, Futre, Narciso, César, Bruno, deu uma varridela a fundo e limpou o“nosso” percurso deixando-o limpinho dos plásticos côr de laranja. Infelizmente, continuam por lá fitas plásticas (vermelhas), que alguém se “esqueceu”, de tira-las, ainda arrancamos muitas, praticamente todas as que estavam no nosso percurso, mas a maior parte (noutros trilhos ao lado), continuam agarradas aos pinheiros chamuscados pelo incêndio

Fazemos daqui um apelo a quem as pôs lá: tirem os plásticos, protejam a natureza, que é tão flagelada todos os anos pelos incêndios e outro tipo de poluição – estou a lembrar-me aquando das marcações, de três bidons de 100litros deitados a derramarem óleo queimado no meio de um pinhal -, façam como nós, não custa nada, além de fazermos a nossa obrigação, tiramos partido da situação e ainda deu para nos divertir

Anexos, com pouco nexo:

 – Quando começamos estávamos preocupados – depois do que vimos no passado domingo -, com a possibilidade de ter que adiar por mais uns dias o tiranço das fitas, caso encontrássemos algum bettista que ainda não tivesse terminado a maratona, não íamos deixar o(s) pobre(s) diabo(s) sem pontos de referência  Felizmente correu bem e pelo menos até S.Gonçalo, não encontramos nenhum bettista com dorsal castanho ou verde

– Apesar da operação “tira-fitas”, ainda tivemos tempo, para descontrair um pouco na Cavada de S.Vicente (capela de S.João),  com o Bruno a fazer a PAP (prova de aptidão física), à sua pancada e a mergulhar na poça de água e…vejam antes os 59 segundos de vídeo: Clickar O mergulho do Bruno

– O Hélder chegou ao fim todo derreado… não! Não foi por causa de há muito tempo não andar de burra, que ideia…foi por causa da trabalhêra  que tem tido, com o pomar de esteios de pedra plantados há pouco no seu jardim: rega-los, sulfata-los para os manter bonitos e viçosos deixa-o sempre de rastos e, depois não consegue dar o litro com a burra nas subidas e desta vez até a mula lhe fugiu com o chefe deixando-o apeado

– Ao contrário, a mula do Berto, que, coitada, ficou a mancar com falta de ar na suspensão por ter dado o litro no Extreme, a mais de 80km/h a descer a serra – dixit Berto -, meteu dó ve-la naqueles preparos tãp devagarinho, com os cascos em baixo, por aqueles caminhos radicais

– Já passava das duas da tarde quando terminou a operação fiteira no Girassol e, por causa disso, quando chegamos a casa, o arroz de tanto esperar, tivemos que o comer… melado

– Como o relatório sobre a Extreme, que o Nelson escreveu continua extraviado aqui fica as classificações de tão distintos ddr guerreiros, valorosos cavaleiros arrebenta-burras, que cavalgaram dois dias por tão duros caminhos, juntamente com as fotos de hoje e 86 segundos de vídeo, com o Mota compenetrado, a enfiar tiras de plástico no saco do chefe Clickar  Brigada “tira fitas”  

Luso Galaico 2012

Luso Galaico 2012

( Obs: foram acrescentadas fotos da extreme dos ddr)

Vídeo do Esposende Serviços TV

Terminou a 10ª edição do Luso Galaico 2012, agora é tempo de fazer o balanço; refletir, fazer uma retrospetiva do que correu bem e menos bem e, começar a delinear o próximo Luso Galaico, porque 2013 é já a seguir

No cômputo geral, pelos comentários em diversos fóruns, este 10º LG, correspondeu às expectativas do que foi publicitado e escrito nos media ao longo das últimas semanas, pode dizer-se que esteve à altura dos pergaminhos do prestígio que esta prova já alcançou a nível nacional e internacional. Foi uma grande festa de ciclismo, com o ponto mais alto na maratona – a mais participada

O feedback que tivemos terminada a maratona, nós os ddr btt Apúlia, que também contribuímos com o nosso esforço no terreno – as marcações do percurso de Esposende até S.Gonçalo, assim como os dois postos de controlo e apoio logístico, estiveram por nosso conta -, para que tudo corresse da melhor maneira, foi positivo, no entanto tomamos nota de pequenas falhas, diria antes pormenores, sem consequências para os bettistas que nos apercebemos com o desenrolar da prova deverem ser corrigidas no futuro

Claro que houve comentários a contestar um ou outro ponto, alguns com razão e desses por certo a organização terá em conta para que não se repitam, outros, francamente sem o mínimo de acerto

Quanto aos ddr, estivemos divididos pela extreme, maratona e meia maratona, além de colaborarmos na organização do evento como já foi dito

– Na extreme tivemos os durosderoer CHICO, BERTO, IVO, NELSON e o PEDRO, o que se passou durante os dois dias, pouco sabemos até agora, nem as classificações, aguardemos pelo relato do Nelson que prometeu contar tudo sobre esta durrissima prova

– Nas maratonas tivemos: PAULO  FERNANDES – 39º; FUTRE – 53º; MILO – 287º e o PAULO PINHO na meia, a uns escassos 48 minutos do vencedor. Todos com excelentes prestações, pois outra coisa não seria de esperar de tão nobres durosderoer

– Quanto ao pessoal da classe operária: FILIPE, MANEL, NARCISO, CÈSAR e TÓZE, apanhamos uma valente esfrega a fazer as marcações no sábado, e, no domingo mais o TINO, BRUNO e o MOTA, arrancamos cedo para os postos do controlo que nos foram confiados com o Manel incansável na sua moto-quad a fazer todo o percurso para verificar se tudo estava em ordem nos cruzamentos e a ter que recolocar novas marcações em alguns locais porque alguém resolveu arrancar as que lá tínhamos posto

“Picar” os dorsais nos postos 1(capela de S.João) e 2 (S.Gonçalo), onde nos encontrávamos, até passar o ultimo bettista, não teve muita piada para nós que também gostaríamos de ter feito parte da festa, integrando o pelotão desde o início; ficar até ao fim foi martirizante contudo, tiramos partido da situação e até acabamos por nos divertir  e, ficamos mais uma vez com a perceção do que é andar no limite, quando os primeiros bettista apareceram no S.Gonçalo, com o tempo de uma hora e seis minutos e, honra seja feita aos  X-par, com o Celestino a fazer parte do grupo da frente, seguido do Cunha e o Vasco um pouco mais atrás e os nossos ddr`s Paulo Fernandes e Futre

Ao fim de quase três horas da partida, eis que chegou o ultimo bettista ao controlo 2, então foi só recolher o lixo e, mesmo cheios de larica, montamos as burras e a galope corremos atrás do prejuízo, fazendo o resto do percurso até à meta

Divertimo-nos ao máximo pelos estradões e trilhos agora desimpedidos; podíamos lá perder aquele estradão até Durrães onde as burras lançadas, com o ponteiro do c/km a chegar 57kms/h, e, se não fosse a carrinha da cruz vermelha estar a atravancar o caminho, obrigando-nos a parar, teríamos continuado sempre em frente

Em Antas paramos para prestar assistência a um bettista que deitado se contorcia com dores musculares. O Tóze deu-lhe um correctivo alongado para continuar, esperemos que tenha conseguido chegar ao fim

Valeu bem a pena termos aguentado  a “ráfia” com o estômago a dar horas  enganando-o com umas bananitas, laranjas, maças e uma barra energética(no meu caso), até ao fim, quando chegamos perto das 16h00

Estivemos dos dois lados da barricada, foi um dia extraordinário bem vivido e, aquela chegada à meta com a equipa ddr toda alinhada de braço dado, (que pena não termos localizado o Snr que nos tirou a foto), com a assistência a bater palmas foi lindo, foi o culminar de um dia de festa

 NT: Por todo o esforço e empenho – principalmente o Manel, incansável de um lado para outro -, não merecíamos que a organização nos cortasse a sobremesa da refeição, bem merecíamos umas clarinhas no final

“de: Francisco Ferreira

f-ferreira123@hotmail.com

Submetido em 2012/04/25 a 20:39

Bom trabalho que voces fizeram e é de louvar o esforço que fizeram para que tudo corresse como previsto, sem falhas tudo à DDR, um abração a todos que contribuiram nesta operação.
Quanto à participação no Extreme, é como estava previsto e dizia no site da Camara, é só para pessoal experiente nestas andanças e como nós somos veteranos nas idas a Santiago metemo-nos ao caminho.
Mas devo dizer camaradas, na partida de Sábado às 6:30 da manha e ainda para alegrar a partida estava a chover e os caminhos todos lameados e muitas poças com bastante àgua e lama, foi duro.
Chico e Berto sempre à frente desde a partida, passamos o 1º control e já ao chegar ao 2º control fomos apanhados pelo campeão que ganhou o Extreme, foi sempre a pedalar, ora sobe ora desce e por volta das 14:56 chegamos a Caminha com 12 betetistas à nossa frente.
No 2º dia partimos às 8:00 da manha com a maioria do pessoal só partiram 5 betetistas às 7:30, foi sempre a zimbrar em direção a Esposende, com o sobe e desce do costume passando por todos os postos de control, e eu e o Berto que fizemos uma dupla do caralho ainda chegamos nos primeiros 30 betetistas do Extreme.
Foi sem duvida alguma uma experiencia muito boa, e conhecer novos amigos do pedal, quanto ao resto dos DDR, portaram-se muito bem e à altura de dignos DDR, mas cada um que comente a sua aventura. Um abraço a todos.”

Algumas fotos da maratona tiradas pelo Tóze, enquanto o serviço não apertava:

Batida ao terreno e…à casa do Oscar

Batida  ao terreno e…à casa do Óscar

Aproxima-se mais um Encontro Luso-Galaico de btt,  a 10ª edição. Falta uma semana; uma semana de stress, uma semana de preocupações para os elementos da organização, envolvidos nesta grande festa do btt, uma das mais participadas, senão a mais participada a nível nacional, como bem o demonstram os mais de 3.500 inscritos/pagantes na edição deste ano – recorde absoluto de todas as edições -, uma referência do btt no país desportivo, que em boa hora a CM Esposende e a Esposende 2000, resolveram promover

Os ddr`s, como colaboradores assíduos, desde há muitos anos neste grande evento, fomos hoje, mais uma vez “bater” o terreno, isto é: a parte do percurso que nos foi confiada pela organização, para tratar da logística assim como a sinalética do trajeto da maratona dos 70km e, meus amigos, para aqueles mais interessados, aqui vai um conselho que deveis ter em boa conta se quereis fazer boa figura na foto: cuidem bem da burra que vos vai transportar, levem-na ao veterinário se for caso disso, para lhe tratar das mazelas, aquelas coisas elementares que qualquer gajo normal se preocupa  em fazer antes duma prova com a estaleca do Luso-Galaico. Não se esqueçam tambem de municiar os alforges com aquelas coisinhas básicas; elos de engate, câmaras-de-ar, um daqueles kits multiusos são muito uteis para um desenrascanço, etc.Uma garrafa de água para emergências também pode ser util.Garanto-vos que muita gente vai precisar destas coisas e muito mais mas, acima de tudo, cuidem muito bem do cabedal, é muito importante e mesmo em boa forma fisica a maioria vai chegar ao fim bem espremidinha, garanto-vos a pé-juntos, que não vai ser uma maratona de “ciclo-turismo”, das nossas oito burras que hoje andaram a “bater” terreno, duas deram o badagaio e não foi por andarem em estradas de “pixe” – uma partiu os parafusos do disco do travão de trás e continuou mas ao pé-coxinho, a outra partiu as mudanças e teve que regressar mais cedo ao estábulo. Pronto, está dado o conselho, agora é com vocês fazerem figura de urso, ou não, encostados à valeta, a “vê-los” passar. Quem avisa… amigo é

Quando terminamos o treino ao fim de 51kms, é possível que dos oito ddr`s: Filipe, Manel, Berto, Milo, Futre, Narciso, César e Tóze, um ou outro, ou vários, tenham tido alguma perturbação doméstica, por terem picado o ponto depois da hora prevista da chegada, ao meio-dia. Se houve tal amuo pelo atraso, é por sermos pessoas bem-educadas, por termos correspondido à chamada de um ilustre membro dos “Gabarolas btt”, aquando da nossa passagem por Fragoso no regresso a casa. O Óscar Vinhas fez questão, assim como toda a excelentíssima família da sua esposa, ao ver-nos cansados, da coça do sobe-sobe-sobe-sobe-e-desce do malfadado tr(oço) que nos foi confiado, de nos receber com toda a hospitalidade e simpatia em sua casa, puseram à nossa disposição um retemperador lanche e umas garrafitas de “taurina”, verde tinto que caíram que nem ginjas no nosso depauperado fisico

Como vêem my ladys, foi por  uma boa causa que nos atrasamos

Notas à margem:

– É desolador  o panorama ao longo dos trilhos por onde vai passar a maratona, tanta área de pinhal queimada pelo recente incêndio que há pouco tempo destruiu tantos hectares de floresta. Que sirva para sensibilizar todos os bttistas para o flagelo e terem mais cuidado com a natureza

– Os ddr`s, vão estar bastante ativos nesta semana, pois além de colaborarem na organização do Luso-Galaico, um grupo de seis elementos, vai participar nos dois dias da extreme e outro grupo vai marcar presença nas maratonas de 70kms e 40kms. Boa sorte a todos

– Uma referência ainda para dar os parabéns ao PFernandes pela participação na duríssima ultramaratona SRP160 em Serpa – Alentejo, com um acumulado de 3.156m em 162 kms, ficando em 46º lugar  com o tempo de 7: 27: 58, a menos de uma hora do vencedor, o profissional Vitor Gamito e deixando a mais de cinco horas, o  ultimo classificado em 340º lugar

– Uma nota ainda para a subida na classificação do César, no dia da estreia da sua nova burra, subindo três lugares no campeonato da Cambalhota. Parabens César continua assim porque todos nós achamos que tens queda para voar mais longe

As fotos do Tóze:

Novos Recrutas?

ATENÇÃO DDR´s: DOMINGO DIA 15 O TREINO COMEÇA ÀS 08H30, NO LUGAR DO COSTUME

Novos Recrutas?

Talvez por ser dia de Páscoa, o grupo foi pequeno, só sete se contarmos com os dois estreantes – Abel e Miguel – os ddr`s foram: Futre – que se apresentou com capacete novo  e óculos racing à gajo top ten das maratonas -, Milo, Narciso, César, Bruno: O Abel e o Miguel, foram os dois elementos de vulto que hoje resolveram pela primeira vez pedalar connosco pelos mesmos trilhos do domingo passado até aos Feitos e, pela amostra como desempenharam a missão, não deixaram dúvidas: estamos na presença de dois potenciais campeões que em pouco tempo arrasariam os Tops btt`s, se continuassem a dar ao pedal com o mesmo afinco de hoje – o Miguel até deu um capotanço nota dez mas não conta para o campeonato porque é recruta -, infelizmente as previsões para que isso continue, não são as melhores devido à incompatibilidade de horário de trabalho. Qualquer das maneiras foi um prazer termos pedalado na companhia destes dois ilustres atletas. Bem vindos a esta cambada de rafeiros que bem podiam ter escolhido outro caminho para a estreia mas, vendo bem as coisas, ficastes logo a saber o que a casa gasta, em vez de ficares iludidos com subidas à Cedovem      

Que pena o vídeo realizado durante o treino em homenagem às bikes que hoje não foram incomodadas pelos donos, ter sido danificado quando estava a ser descarregado para o PC. Mais valia ter partido um drop-out à Milo da Portela, ou ter dado um trambolhão nota dez, do que ter perdido esta preciosidade de vídeo com palavras tão bonitas dirigidas por cada elemento do grupo a todos os ausentes mas sobretudo ao Tóze, pelo “feito heróico” de ter ficado na cama, depois de ter prometido que hoje não faltaria, justificando-se mais tarde que foi por causa do serão noturno intenso, como ele próprio confessou (nós já tínhamos adivinhado), às 13h05 por SMS:  “Boas não deu para acordar. A noite foi muito dura”

Num local a condizer em cima das pedras, nas poças dos Feitos, com os sete, à vez, a começar pelo recruta Abel e a terminar no veterano César, foram ditas palavras elogiosas através de vídeo, a mandar o Tóze (e não só) p`ro…. e outros mimos igualmente profundos, e, olha Tóze: uma coisa garanto: todos estávamos emocionados, por saber que estavas bem aconchegadinho nos lençóis, e, alguns até repetiram o “p`ro”, algumas vezes, pelo rico exemplo que destes aos dois recrutas que confiaram em ti para seres o anjo da guarda pelos caminhos da amargura das subidas

Depois da pausa para gravar o tal clip e admirar a natureza, num dia tão lindo,  ainda betêtiamos mais uns kms pelas margens do riacho, Vila Cova e Palmeira, para terminamos mais um dia de treino laborioso  e honrado no Sun7, onde fomos recebidos pelo chefe e onde também lá se encontravam muitos malandros que só se equiparam para beber cerveja, ao menos o Bruno (Xispar) – que foi ontem “comer” a Isabelinha a Viatodos,  teve o bom senso de se apresentar à civil

Embora tenha pouco feed back como decorreu a prova, Isabelinha BTT em Viatodos sabemos que estiveram presentes os DDR`s:

Paulo Fernandes, Ivo, Pedro e Nelson

E também o Cunha e Bruno X-par

Parabens a todos

As fotos (que tiveram melhor sorte do que o vídeo), do treino d`hoje:

O Voo da Burra

O Voo da Burra

Sem novidades o treino deste domingo, ou hoje não fosse o 1º de Abril

No ano passado por esta altura, o título foi: “O TREINO GARMINIZADO”, hoje o título bem podia ser o mesmo, porque as semelhanças com o treino de há um ano foi um tudo-nada igual:

– O GPS era do mesmo dono  com versão desatualizada

Pois é! Hoje resolvemos explorar um percurso predefinido, recorrendo à ajuda do GPS para nos guiar mas, a coisa resultou ao contrário e às duas por três estávamos desorientados sem perceber patavina das coordenadas para onde o aparelhometro nos queria levar. Nós, que tão bem nos orientamos de noite, sem luz, pelo meio dos pinhais – quando julgávamos que tínhamos descoberto o caminho verdadeiro dos vários que o abominável Garmini, nos mostrava, tal e qual como da outra vez, enfiávamos sempre pelo caminho errado. Decididamente não temos vocação para pedalarmos sob as ordens vindas de um qualquer GPS rasca

Contudo, sabemos que qualquer dia temos forçosamente de dedicar uns minutos a este aparelho em forma de telemóvel antigo, porque cada vez há mais provas de btt estruturadas para o uso do geo – e não só, parece que a moda agora é pedalar com o “macaco” preso à bike -, teremos que fazer uma upgrade para perceber as “manhas” do funcionamento do Garmin, mas, meus amigos não há nada que substitua o gozo de explorarmos a “selva”, orientados somente pela intuição, pelas estrelas e pelo Sol, apreciando a natureza em todo o esplendor, em vez de passarmos todo o tempo a olhar para o tijolo no guiador a fazer o que ele manda

As diferenças do ano passado: em vez do Nelson andar a subir às paredes com a sua CUBE, agora foi o Milo, a pôr a sua  KTM a voar para lhe endireitar o empeno do desviador traseiro que, mais uma vez – depois da cena do drop-out partido nos trilhos da Portela CARREGA AQUI PARA VER A CENA , foi vitima de atentado pela lenha dos trilhos e, zangado – coisa rara -, atirou-a pelo ar com toda a força e convicção para espanto meu e do Pedro – e não é que a mula Myroon voou uns quantos metros até aterrar em cima do mato grosso? Aviso já que esta ferramenta não é a mais apropriada para endireitar o desviador, porque depois do looping picado,  a burra ficou ainda mais empenada e se não fosse o César resolver o problema, o Milo estava disposto a fazer mais uns quantos lançamentos

A outra diferença: no ano passado de tão desorientados nem houve o tradicional “xarope” final. Agora não só xaropamos repimpadamente sentados na esplanada do Miranda, como tivemos uma aula de cultura geral pelos mestres da nova vaga da construção civil, Manel e Futre, sobre a arte de bem xapiscar em toda a parede, assim como novos conceitos de publicidade para atrair clientes que eventualmente necessitem de xapiscos ou que lhes tapem todo o tipo de buracos

Os doze que andaram às voltas atrás do Garmini:

Filipe, Chico, Manel, Ivo, Milo, Rui, Futre, Narciso, Nelson, César, Tóze e Pedro

Aqui se publicam algumas fotos dos ddr`s, algumas bem curiosas, do baú do Tóze, que há muito deveriam ter sido publicadas: