Skip to content

Pedalando por aí…

Segunda-feira, Julho 9, 2012

por: BRUNO MONTE

Pedalando por aí…

Realmente já estamos noutro fim-de-semana e eu ainda ser ter cumprido o que ficara assente: relatar o que foi o nosso “treino” de domingo passado dia 1. Só não o fiz antes, porque tive um começo de semana bastante atribulado, incluindo uma prova de btt da brigada mecanizada com cerca de 50kms non-stop, da qual, modéstia à parte, me saí bastante bem graças, em parte,  aos treinos “puxados” com os ddr`s  de que tenho sido “vitima”.O honroso 7º lugar em cerca de trezentos e tal participantes  não foi nada mau, se tiver em conta que alguns dos que ficaram à minha frente, tem provas dadas a nível nacional no duatlo.

Mas como diz o ditado, mais vale tarde do que nunca.

Como de costume reunimo-nos no rafas, um a um lá foi aparecendo malta para o treino. A 1ª surpresa foi o Tóze  no rescaldo da abertura do PACHA estar no rafas bem cedinho, provavelmente depois do S. João fez um voto de abstinência…

A 2ª surpresa foi o homem que não cortava o cabelo à 25 anos (apenas cortava as pontas espigadas), o ter feito este fim de semana, até parecia que ia voltar para S. Jacinto (unidade militar em Aveiro). Além disso tinha uma tatuagem na perna extremamente vistosa, era prateada ou branca, algo do género.

Em direção à tão “famosa” subida  do “Real” em Cedovem onde alguns mais malucos atalharam mesmo antes dos restaurantes por um terreno carregado de vidros e porcaria, por sorte ninguém furou. Chegados à terra das Clarinhas 3, os semi doentes por descidas apanharam umas escadas ingremes em direção à nacional 13 e nada lhes passou pela cabeça que não fosse descer…o Tóze mais sensato ainda pensou duas vezes mas, lá foi ele. 

E então passamos a ponte em direção a Esposende, Palmeira de Faro, andamos às voltas por Gemeses numa espécie de trilho, acho que era mesmo um escoamento de água, fomos a Vila Cova onde subimos, subimos e subimos, foram 3 km apenas com uma ligeira inclinação a favor e… lá se foram os últimos restos de “taurina”. Então chegados a um cruzamento, o pessoal viu numa rocha uma palavrinha mágica, Feitos, e lá nos lembramos, Verão, calor…porque não subir mais um pouco e dar um mergulho na poça de Feitos? E aí fomos nós, fazendo mais uma bruta subida e uma descida louca até à dita poça. Quando lá chegamos pelo lado jusante da cascata, pelo singletrack onde durante o caminho ouvimos um relinchar, ainda pensei que fosse um certo ddr mais atrasado a mandar vir…mas era mesmo um cavalo, ou um dinossauro para aqueles que pertencem à LAC (Liga Anti Cavalo). Chagados à cascata o Narciso arranjou logo um 31, ou não, depende do ponto de vista, tinha o selim a apontar em direção a um local escuro e sombrio onde gazes com enxofre abundam…imaginem só, a sorte é que alguém tinha ferramentas para arranjar a coisa, pois se não todos iam pensar que estava assim de propósito 😀

Na lagoa essa tão belíssima cascata começaram as maluquices, enquanto uns mais tímidos nem as luvas tiraram com medo de apanhar uma constipação, outros nem pensaram duas vezes tiraram tudo o que tinham e não tinham vestido e mandaram-se aquelas águas de temperatura “amena” (devia estar a uns 8º ou menos), esse tal atleta ddr despido de vestimentas com aquela água fria que tudo encolhe e com aquela juba já parecia um espécimen do género oposto, só um pouco mais feio. Muitos interesses despertaram aquele bumbum, como diz o brasileiro. Algum pessoal em desespero ao ver aquilo ganhou coragem e heroicamente fez-se às águas “amenas” da lagoa, escapou por sorte, ileso e sem ferimentos, corria sérios riscos de ficar cego de um olho.

O dito nadador salvador de praia de água doce, que comprou à pouco tempo uma lambreta,  não sei se pelo bumbum se por maluqueira e ao fim de muita hesitação molhou as pontas dos pés e com um empurrãozinho moral da rapaziada deu um mergulho, saiu da água em estado de choque, nem conseguia respirar…tal era a maravilhosa temperatura da água.

O nosso tão ferrenho sportinguista desta vez ficou-se pela garganta, tanto diz que andou na tropa mas, recusou-se a ir ao charco – ai se o agora Coronel (que ele bem sabes o nome) sabe disto, ainda pensava: a tanto charco o convidei e ele sempre foi e não me conhecia de lado nenhum -, os amigos que ele tão bem conhece convidaram-no e ele recusou-se, que tristeza. Fica para a próxima…

Após este belíssimo momento de confraternização ddr, com a fome a apertar e a sede nem se fala, fomos convidados pelo nosso ilustre sportinguista (para se redimir) a uma petiscada em sua belíssima e bem decorada casa. Ao entrar a famosa burra especial de corrida em carbono chamou logo a atenção, ao lado alguns dorsais das provas e uma bela recordação de tempos áureos onde se imaginava o “Lazlo boloni”, com um grupo de terroristas a seu cargo, dos quais eu também fazia parte; agora fora de brincadeiras e com muito respeito foi um tempo onde aprendi muito, a ter um pouco de humildade e parte daquilo que sou hoje como homem devo aos ensinamentos do mestre Futre nesses meus tempos do futebol no GD Apúlia. Vai daqui um muito Obrigado (não podia reinar com este ilustre sportinguista, os elogios são sinceros).

Mas continuando, aquele Martini, por aquilo que alguns leram parecia taurina,  daí a pujança, mas estava tudo muito bom, temos que agradecer ao Futre e à sua senhora pelo petisco e dizer que este domingo se ninguém se opuser será em minha casa…

Os atletas presentes Filipe, Milo Pinho, Futre, Narciso, César, Tóze e Bruno…

….pegando na deixa do Bruno, o treino d`hoje foi mais ou menos igual  ao da semana passada, como o Bruno acabou de descrever na sua excelente crónica, no entanto houve algumas substituições dos artistas: saíram César e Tóze e entraram Chico, Paulo Pinho e Ivo e o reforço  desta vez foi em casa do Bruno e como equipa que ganha não se mexe,  continuou com a mesma tática do domingo passado em casa do seu ex-treinador de futebol. Meus amigos, a continuar assim – uma tasca diferente em cada domingo -, até terminar a ronda calórica, vamos ter que encurtar o tempo de treinos, senão não temos tempo de degustar o produto final

Carrega aqui para ver dêdêrrices

Uma foto do  sportstracker do nosso giro deste domingo e o traçado e a classificação da prova de btt da brigada mecanizada do Bruno. Os ddr`s estão orgulhosos do teu feito, por fazer de ti uma fera do pedal. Bruno! Agora que os resultados estão à vista, valeu ou não a pena teres investido nos ddr, com elos de engate, câmara-de-ar, meias e sei lá que mais? Se quiseres evoluir mais, tens de continuar a apostar nos ddr, com outros materiais mais resistentes, por ex: pneus e vais ver que em pouco tempo és o nº 1

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: