Skip to content

O gatinho e a planta conífera

Terça-feira, Outubro 30, 2012

O gatinho e a planta conífera

Gato, é um mamífero carnívoro, doméstico, cuja fisionomia se resume  a um corpo rodeado de pêlos por todos os lados, com quatro patas. Gato também serve  para definir mil e uma coisas, desde um vergalhão de ferro para unir pedras ou paredes, até variadas expressões popularmente conhecidas:

Aqui há gato, utilizamos esta expressão, quando desconfiamos de alguma tramóia iminente urdida por um bom malandro;  quando há um erro de calculo e no final a conta está errada,  recomeçamos tudo de novo à procura do lapso, do engano, isto é: procuramos o erro até dar com o gato

 Gato, dá para tudo, está sempre associado a qualquer coisa de ardiloso, manhoso, todos nós, alguma vez já fomos surpreendidos pela investida de um  tareco que, repentinamente salta da berma do caminho, contra a bike em andamento e por azar acaba a servir de calço à roda da frente, resultando a maioria das vezes num belo trambolhão do ciclista desprevenido, que estatelado no chão e embrulhado na burra, todo quilhado, profere cobras e lagartos sobre o malvado gato

Outra: porque será que as mulheres, a um gajo bem parecido e bem proporcionado, capaz de lhes provocar múltiplas sensações de prazer segundo elas, só de olhar para o manganão, chamam-lhe Gato? Este animal com cara de poucos amigos, que foge da água como o diabo da cruz, não gosta de ser depilado(coisa que agora está na moda), tem olhos à belzebu daí ser muito requisitado para as histórias tenebrosas de bruxas e mafarricos, arranha-nos quando passamos das marcas a coçar-lhe o pêlo, é independente desaparece dias a fio sem dar cavaco a ninguém, volta com a maior das tranquilidades e ainda é recebido com caricias pela dona. Será que as mulheres gostam destas gatices aplicadas nos gajos? Não sei, quanto mais estudo menos percebo a psique  feminina,  mas se gostam, então porque resmungam em vez de fazerem miminhos quando um tipo chega a casa fora de horas?

Já devem ter percebido que todo este paleio sobre o caráter dos gatos, está relacionado com o bichano que atropelou o Futre, quando hoje pedalavamos calmamente pela estrada de pixe na freguesia de Gandra. Um gatinho descontrolado vindo não se sabe donde, mandou-se para a frente da burra QÜER  que assustada descarregou o Futre deixando-o a gatinhar, a imitar o bichinho.

Neste caso a expressão para os cinco pontos que ganhou é: ai o fdp do gato que me f***

Com isto, espero ter contribuído para o Futre ficar com a ideia das características do gatinho que o lixou e precaver-se para a próxima, contra animal tão matreiro e perigoso.

Pinheiro, segundo o dicionário é uma planta conífera! com as folhas sempre verdes, que dá madeira e resina, isso já nós sabiamos, que é conífera é que não. Esta árvore é abundante no nosso país e os pinheiros que vivem nos socalcos do monte de Creixomil, onde costuma haver uma prova de XC a contar para o campeonato do Minho, são árvores bastante carenciadas que necessitam de afetos, quando vêem pessoas a descer o monte abrem os braços e clamam por um abraço, gostam de ser abraçadas. Pois bem, o grande ddr Chico, quando descia o monte ao ver um pinheiro de braços abertos, saiu do trilho, percorreu vinte metros, com a burra 27,5” a escoicear, fez uma pirueta e abraçou-se à planta conífera carente, com boa bitola para produzir tábuas de grande medida. O Chico justificou muito bem porque lhe foram atribuídos dez pontos.

Resumindo: se o Chico abraçou um pinheiro, ninguém tem nada com isso. Gostos não se discutem e, ficamos a saber que pinheiro é uma planta conífera antes de ser grande… Será?

De resto, foi um treino muito produtivo, com o César também a reclamar cinco pontos, ocupando agora o segundo lugar destacado no ranking das cambalhotas.

Foi um bom treino, quase tão duro como os dezasseis kms da ultima quinta – ida e volta de Apúlia a Aguçadoura -, muito bem composto por um grupo de doze garbosos atletas, que se divertiram  como sempre durante 40kms – honra seja feita ao Pedro e ao Hélder que fizeram mais de 50kms desde Aguçadoura -,  por bons trilhos com destaque para o single track da descida em direção ao rio Cávado em Perelhal e das séries da descida à “gatanheira” que se seguiram no mesmo local, depois de atravessar Perelhal, fomos ter aos tais tracks do dá-me um abraço em Creixomil

– De assinalar o regresso do Hélder (Marinheiro), acabado de chegar do monte  da Snra do Minho depois de ter iniciado a subida no dia 18 Agosto e, olha só Bruno! Apresentou-se com a Ramson num brinquinho, com os parafusos todos apertados, mas só os da burra e desta vez  aconteceu um milagre, só arrebentou a corrente uma vez

– Infelizmente nem tudo são boas noticias, o Nelson continua desaparecido desde o dia 4 Outubro.

– O Pedro e o Hélder Salgado, começam a ficar desesperados, porque ainda não foi desta que participaram num treino com o Berto, que também continua sem aparecer aos treinos desde o dia 30 Setembro

–  E o Milo faltou ao treino. Teve outra recaída, não sabemos é se voltou aos tiros ou se foi substituir algum canixe de caça

Os doze indomáveis deste domingo:

Chico, Paulo Pinho, Hélder, Emílio Pinho, Mota, Futre, Narciso, César, Tóze, Diogo Fernandes, Pedro Neves e Hélder Salgado

Fotos do grande treino da ultima quinta-feira, no mesmo dia que a baleia deu à costa, tiradas pelo Tóze:

Este slideshow necessita de JavaScript.

One Comment leave one →
  1. Francisco permalink
    Terça-feira, Outubro 30, 2012 22:15

    Como não podia deixar de fazer um agradecimento ao Joaozinho do Talho pelo seu convite e acolhimento na sua humilde casa em Aguçadoura. Eramos poucos mas bons e demos conta do recado na comida e na bebida que estava uma delicia e depois um vinhinho do porto para fazer a digestao, só não comeu mais quem não apareceu ao treino.
    Quanto ao treino de Domingo, quero agradecer a presença do Pedro e do Helder de Aguçadoura que são sempre bem vindos ao grupo para uns treinos marados com a malta e estão a apanhar o jeito.
    O nosso Helder (marinheiro) voltou a aparecer cheio de força e vontade de treinar e esteve muito bem nas subidas e melhor nas descidas em que não é preciso tocar aos pedais. O Paulo Fernandes que estava para o estrangeiro mais propriamente na Roménia confiou-nos o seu irmao Diogo em que sem a presença do Paulo curtiu à brava as descidas melhor que o irmao e só começou a andar de bike sem rodinhas dos lados à bem pouco tempo, está a dar luta, é assim mesmo Diogo.
    O resto do pessoal dispença comentarios, são do melhor, sempre a bombar.
    Um abraço a todos e até ao proximo treino, que este foi bom.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: