Skip to content

O Amuo

Segunda-feira, Novembro 5, 2012

DOMINGO DIA 11, TREINO ÀS 08H30

 O Amuo

Antes de começar com as incidências do treino e, porque o tema está na ordem do dia, há poucos minutos ouvi no noticiário mais um apelo para que as portuguesas e os portugueses se deixem de falsas promessas para com os óvulos & espermatozóides e contribuam para o aumento da população pois, continuar a enganar a bichesa, não é saudável nem a solução para resolver o problema gravíssimo da falta de natalidade, e, no dizer dos especialistas sobre o assunto, a continuar com o ritmo baixo de produtividade, a curto prazo, vamos ter um problema mais grave que a crise económica atual.

Esta falta de renovação de portugueses não é nova, no século XV, houve qualquer coisa de semelhante e foi resolvida por um visionário, um padre de paróquia, se bem que, esteve próximo de lhe acontecer o mesmo que à baleia que recentemente deu à costa no areal de Apúlia.

Aqui transcrevo na íntegra o que aconteceu nesse tempo, como consta nos arquivos da Torre do Tombo e, quem sabe, pode ser uma solução para o problema que tanto aflige o país, embora comporte alguns riscos:
SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO
(Autos arquivados na Torre do Tombo, Armário 5, Maço7)
“Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado das suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas, da própria mãe teve dois filhos.
Total: duzentos e noventa e nove filhos, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e
três mulheres”.

….dassse

E agora a sentença do Rei:

“El-Rei D. João II perdoou-lhe a morte e mandou-o pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo, e mandou arquivar os papéis da condenação”

Hoje formamos um bando de respeito constituído por quinze duros quinze: Filipe, Hélder, Berto, Mota, Futre, Narciso, Paulo Fernandes, NELSON, César, Bruno, Tóze, Diogo Fernandes, Bruno Lopes e pelos dois…”Diabos da Tansmania”, Pedro Neves e Hélder Salgado.

Se, na semana passada regozijamo-nos com o regresso do Helder, agora foi a vez do Nelson e pouco importa que o regresso tenha sido motivado por este comentário do Chico: “Nelson o desaparecido, onde andará este elemento, tão importante para o grupo. Será que anda a convencer os seus Pais a matar o porco p`ra gente ir lá comer umas papinhas e anda a treinar correndo atrás do porco para o caçar e vai assim treinando a fazer umas corriditas, mas como tá a demorar a aparecer aos treinos, é porque ainda não apanhou o porco, isto porque tambem a herdade é muito grande e o porco corre muito.
Por outro lado, será que anda a treinar bicicleta de pixe e não se quer sujar no monte com lama e outras coisa mais?
Ou será que foi de ferias para um SPA para abater a barriguinha e quando se apresentar nos treinos vem com menos 20kg e ninguém o vai reconhecer?
Pois é meus amigos, por onde andará o grande Nelson, só sabemos que tá desaparecido. Aparece Nelson temos saudades tuas, grande amigo
.

Pronto, o Nelson voltou, as nuvens escuras desapareceram e o Sol voltou a brilhar. O grande Nelson apresentou-se ao serviço ao fim de uma dolorosa ausência de trinta dias, apresentou-se ainda mais elegante, charmoso e redondo (ups… isto não era para dizer), que daquela vez quando descemos o monte de Gemeses de noite às escuras e o estupor da roda da  Cube enfiou-se no rego e ficou entalada, assumindo aí o comando do campeonato da cambalhota, para não mais o largar até hoje

O Berto também voltou, calmo e sereno, deixou a bike do pixe com que se entreteve no mês de Outubro e apresentou-se com a rebatizada Eminha do monte, mas como este esteve sempre contactável com o grupo o regresso não teve aquela áurea de mistério como o aparecimento do Nelson

Agora ficamos a aguardar o regresso do Ivo, do Tino e do Manel

– Motivados pelo regresso de tão ilustre ddr, o treino foi produtivo, houve quatro caianços  efetivos e um que ficou pela ameaça cai-não-cai, protagonizado cá pelo rapaz ao subir uma guia do passeio. Foi o prenuncio para o que viria a seguir em S.Lourenço

– O Paulo Fernandes, em conversa de circunstancia, sugeriu a criação de uma equipa de juvenis. Porque não? Com tão bons instrutores em pouco tempo a equipa dos miudos, andaria por aí a dar cartas no btt, principalmente nas descidas macacas. Acho uma excelente ideia e por certo teria o apoio de todos, o problema é arranjar mão-de-obra. A ideia já é o primeiro passo. Fica o registo 

– Depois de passarmos o parque industrial de Esposende, ao ver a pedalada pachorrenta do grupo em aquecimento, o Diogo prognosticava para o Paulo, que o treino ia ser fracote, com pouca pica, mas enganou-se, houve muita pica adrenileira à solta, a começar na pedreira radical da Gatanheira, com os mesmos do costume a fazerem das suas: primeiro o Helder seguido pelo Berto a descer os 90º  de inclinação com a maior das facilidades e, três tentativas depois a Trek do chefe, depois de esta se ter armado em esquisita, acabou por embicar e descer também a radical90   Clica aqui para veres a burra trek a rabiar

– Pelo trilho empedrado, fomos ter à estrada. O César que entretanto tinha amealhado cinco preciosos pontos para o ranking, refilava por entender que não merecia tantos pontos. Subimos pelo pixe até S. Lourenço o local escolhido para homenagear o comandante do campeonato cambalhoteiro que é nem mais, o regressado Nelson. O Diogo foi o primeiro com um caianço de cinco pontos, seguido por mim também com cinco pontos azelhados. O Futre foi mais generoso e deu um cainço de sete pontos e meio, tudo, repito, para o líder do campeonato  se sentir mais confortável com o segundo e terceiro lugares próximos dele

– No desce-sobe-engano-desengano, na subida para a Snra da Guia em Belinho, o César, o Pedro e o Helder Salgado despistaram-se do grupo ou vice-versa, e não fizeram a descida adrenileira, da Snra da Guia até Antas, foram à volta do monte e ficaram à espera e a gravar Clica para ver, a chegada dos doze artistas e pelo que me contaram, alguém dos três ficou amuado por não ter feito o trilho maluco. Quem seria? 

– Continuamos por um trilho que a todos deu pica (e picos), fazê-lo, alguns valentes patinaram mas não caíram!!! bom, falo por mim

– No regresso pela freguesia de Antas, o Pedro não resistiu aos encantos de uma vaca torina bem nutrida e, fascinado pelo olhar bonacheirão da vaca leiteira, parou para lhe tirar uma foto, ficando eu e o César à espera. Quanto recomeçamos a pedalar estávamos os três sozinhos, o resto da cambada tinha-se pirado sem deixar rasto e lá fomos nós com as burras a galope a resfolgar por todos os lados, no seu encalço até voltar a encontra-los em Esposende, sem estes se terem apercebido da nossa falta, concluindo mais uma vez como este grupo funciona direitinho

– O treino terminou na ilha do rei Futre, com o grupo reduzido a oito, enfim os mesmos do costume. E foi neste local de culto, com a gerência dos ddr reduzida a um, o Filipe, que se tomou importantes decisões (juro que ninguém estava bezanas), com a anuência da assembleia, ficou assente que a inscrição na “Descida ao Sarrabulho”, no dia 17 Novembro em Ponte de Lima é com o jantar. As inscrições devem ser feitas até ao dia 10, depois desta data terão um acréscimo de 5€ e todos sabemos que esta quantia é muito importante para ajudar a “tia Márcia”

Ficou também apalavrado que no dia 8 de Dezembro, sábado e feriado religioso, os ddr`s  estão a planear fazer uma descida em bote, no rio Minho em Melgaço, através da empresa de desportos radicais a “Melgaço Radical”. Quem estiver interessado vá preparando as coisas porque o dia é para a romaria

PS:  “O Amuo”, aconteceu quando os três se perderam de nós, ou nós deles, mas o Pedro é qi sabe do amuo e vai contá pa genti, proqi nois qrê sabê. Tá seu Pedro?

2 comentários leave one →
  1. Bruno lopes permalink
    Terça-feira, Novembro 6, 2012 17:50

    Depois de uns treinos convosco , e de uma pura e rapida reflexão , cheguei à conclusão de que nada deixa mais feliz um DDR do que ver um colega dar uma cambalhota ! Ainda o desgraçado vai a meio da queda , já se ouvem valentes gargalhadas , é essa alegria que é contangiante que torna o btt e o vosso grupo especial.
    Um abraço e espero poder comparecer em breve em mais uns treinos convosco.
    Bruno lopes Fão
    PS: Pedro em Aguçadoura não há vacas?

    Gostar

  2. Francisco permalink
    Domingo, Novembro 11, 2012 17:46

    Proximo Sábado em Ponte de Lima vão atuar os DDR e este ano estão em peso.
    Vamos todos a Ponte de Lima

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: