Caminhos do demónio

Caminhos do demónio

Por causa de azares, terminamos a “missão” prospetora de que fôramos incumbidos, juntamente com o grupo btt Fonte Boa: – (re)descobrir novos rumos para btt -, fora de horas e, já não houve tempo para o tradicional e reconfortante xarope final, se houve dias que bem merecemos uma boa bebida no fim, hoje foi um desses dias depois da manhã atribulada com quatro furos arreliadores, uma desistência, travessias de “lagos” com muita água, subido e descido caminhos do demónio até ao monte da  Franqueira. Em vez disso, fomos direitinhos para casa e o xarope foi um raspanete de todo o tamanho, por termos falhado como sempre, as previsões mais otimistas da chegada treinante

Como previsto, três elementos do btt Fonte Boa: Paulo, Luís e Nelson, juntaram-se a nós ddr, na tal missão referida acima de descobrir novos destinos para  btt. Hoje foi uma parte do muito que falta fazer para concluir o projeto, ainda vai ser necessário mais uns dominguitos como o de hoje, de preferência sem azares, para a sua consolidação

Foi bonito ver tanta gente no treino, ainda para mais a seguir à noite “critica”de S.Martinho, que, como manda a tradição,“enfarda-se” castanhas, água-pé e jeropiga e etc, em overdose e depois fica-se de ressaca na cama até à cura

Foi formidável juntarmos quatro grupos num total de quase trinta pessoas: DDR, BTT Fonte Boa, Diabos da Tansmania e os X-par que nos deram o prazer da sua companhia até ao monte de S.Félix.

De facto começamos muitos, mas só chegamos ao fim pouco mais de meia dúzia, por motivos vários e se houvesse um prémio para o mais azarento, seria entregue ao Pedro Neves, porque foi o que teve mais azar, acabando por desistir ao fim de poucos kms, com a roda em off da sua burra, sendo necessário recorrer à assistência da família para regressar a casa

– Vamos lá mandar um abraço pessoal: “um abraço Pedro!”

Em Pedra Furada, ficou o Hélder Salgado e mais os dois amigos, regressaram a Aguçadoura para cumprir compromissos

Com muito trabalho pela frente, continuamos por Vilar de Figos e pelos caminhos rudes dos pinhais do monte, apanhamos uma dose cavalar até chegarmos ao pixe do largo da Franqueira e, sem tempo para respirar logo uma descida da mesma marca das subidas, com o César a ter que conclui-la, com a mula às costas, com a roda furada, seria o segundo furo e enquanto se resolvia o problema o Chico e o Luís Neves, vendo o adiantado das horas aproveitaram para se pirarem.

A descida até aos “Frades” e depois por Carvalhal fez-se por pequenos trilhos downhileiros e single tracks com algumas ratoeiras a exigir concentração e mesmo assim houve capotanços.

– De assinalar que referenciamos mais um bom local para uns mergulhos, junto à antiga fábrica do papel em Medros – Barcelinhos, e não o fizemos hoje a estreia por falta de tempo.

Com o grupo reduzido a onze, a hora adiantada, depois de consertar mais um furo da 29″ do Paulo Fernandes, iniciamos a toda a força o regresso à base

– Não podemos terminar sem dar os parabéns ao estreante no grupo: Seara?  (creio que é este o nome), pela abnegação e sacrifício que demonstrou em não desistir. Notei algumas vezes, o esforço que fez para se equilibrar com os sapatos a saltarem dos pedais sem encaixe e com uma burra a que não estava habituado de todo, com uma maratona de 50kms, com a tal dose cavalar pelo meio e os ultimos 15kms em alto speed, estamos de acordo que foi o herói da jornada. Foi à duro de roer. Parabéns… Seara e é natural que tenhas ficado com dores musculares no pescoço,  vamos dar-te a receita para o problema: telefona para qualquer ddr que te ajudará a aplicar o tratamento. Clica AQUI para veres como é fácil

De resto, foi um bom treininho para a atuação no próximo Sábado em Ponte de Lima

Atenção gerência ddr:

alguém avisou este gajo para a “Descida ao Sarrabulho”? Ele diz que está pronto para o combate, portanto não se esqueçam de lhe dar um toque

 

 

 

 

 

Fotos, mal tiradas, do pessoal a sair das trincheiras na freguesia de Carvalhal:

Este slideshow necessita de JavaScript.