Resquícios dos “Trilhos dos Moinhos”

Fotos dos ddr´s Bruno Monte, António Maia (Tóze) e Narciso Ribeiro

Fotos dos “Trilhos dos Moinhos”

Resquícios dos “Trilhos dos Moinhos”

Eu sei que é preciso ter uma lata do c***, coisa que não falta aos ddr`s, para falar de uma prova em que não participaram. Temos perfeita consciência que até poderemos ser processados – como aconteceu certa vez quando um elemento do grupo ddr, quis estragar a vida a um companheiro de luta, ameaçando-o com um processo em tribunal por ter publicado uma foto com as calças arriadas no meio do mato -, sabemos que é abusivo mandar bitaites sobre uma prova de btt, quando se trata de uma organização dos Amigos da Montanha, essa distinta e dinâmica associação que não deixa nada ao acaso em qualquer evento organizado por eles. Depois das criticas que vamos fazer é bem possivel que nos façam sentar o rabinho no banco dos réus por difamação, mas vamos correr o risco.

Assim não dá Amigos da Montanha, não podem fazer pontes seguras e tudo bem organizado, vá lá que tiveram a ideia de pôr aquelas pedras à saída da ponte a subir para o pessoal desmontar e espalhar-se de lado, mas soube a pouco. Protestamos veementemente aqui por termos estado tanto tempo no local da ponte improvisada de madeira sobre o riacho dos Feitos, à espera que a ponte ruísse e não aconteceu. Seria tão bom estar agora aqui a escrever: “…foi quando um ddr entrou na ponte a toda a bisga e bateu com os…na protecção lateral, esta partiu-se por estar mal feita e caiu à água com estrondo levando com a burra em cima da cabeça…”. Seria tão bonito poder dar esta notícia, infelizmente p`ra nosso desgosto ninguém caiu à água e a ponte lá continua firme e segura. Para a próxima arranjem qualquer coisita mal feita para o pessoal se divertir e ter assunto. Este pedido fica à atenção do nosso amigo, diretor operacional Nuno Martins que andou por lá de mota com aquela mania de verificar se estava tudo em ordem. Vai daqui um abraço Nuno

É verdade que cinco de nós: Filipe, Futre, Narciso, Tóze e Bruno, não participaram fisicamente na prova dos Moinhos, mas o nosso espirito vogou, qual espada de Damócles sobre o cachaço dos nossos companheiros de luta, acossando-os todo o tempo para mexerem o canastro pesadão em cima da burra.

Infelizmente a coisa não correu como desejávamos, foi frustrante para todos, quando vimos chegar ao pé de nós o Celestino Faria dos X-par´s, esse grande atleta de topo (2º classificado nos 5º Cumes, entre outras vitórias), com o pneu traçado quando ia em 4º na segunda metade da corrida. Os campeões também são feitos destes azares que em nada afeta a moral, senão a frustração do momento pela desistência forçada.

Foi bonito pá , olhar para a classificação final e ver que foi graças ao nosso apoio que o procurador do César, terminou em 14º lugar na geral. Vai daqui um abraço para a Argélia onde neste momento o César já se encontra a vergar a mola; o Paulo e o Digo Fernandes dois PROS de elite em 18º e 28º, respectivamente; o Milo Pinho em 78º outro PRO à maneira; o Tiago Seara em 122º, que a continuar assim a progredir, dentro em pouco tempo o cêu será o limite; o Milo em 249º, porque ainda não está adaptado às novas rodas (só pode) e o Ivo pá, o Ivo, o Ivo pá…o Ivo comoveu-nos a todos quando levantou a mão no meio da ponte, como se fosse o presidente da junta a saudar o povo (e a ponte não caíu), a agradecer-nos, por ter chegado até ali são e salvo da concorrência feroz, depois lá foi a pé com aquele andar determinado a empurrar a burra e por ultimo o Pedro que ia na desportiva, a poupar-se para o extreme do próximo Luso-Galaico no dia 27 de Abril.

Não pensem que só demos moral aos nossos, demos apoio psicológico (quem melhor do que nós?), de borla a todos os bttistas com sinais de estarem a passar-se dos carretos por ter de subir mais um monte.Estivemos ali desde a passagem do José Rodrigues, o primeiro a passar na ponte, discretos e silenciosos…bem…não foi bem assim, às vezes fazíamos um bocadinho de barulho, p`ranimar  o Bruno e o Tóze a tirarem retratos sem adormecer. Como a ponte não havia meio de cair, quando passou aquela miúda, a Fernanda Loureiro do Gilmonde btt e nos disse “que costumava ver as maluqueiras dos ddr´s”, foi demais…malucos? Que desaforo ao nosso ego, furiosos pegamos nas burras e descemos o riacho até à cascata, e, oh Nanda, espero que depois de ver estas fotos reconsideres a opinião a nosso respeito.

Bom, apesar destas bocas perniciosas da Fernanda para a nossa moral e como temos a certeza que é uma menina porreira, vai daqui uma saudação calorosa de todos os ddr`s a esta miúda bem disposta, simpática e guerreira, sem medos, com um far-play e sorriso  de todo o tamanho. Todos: “Vivá Nanda”

Atenção cambada, o Mota prometeu que nos arranjava um biscate para o fim do treino de quinta, com o fito de nos pôr em forma para o “btt Portela 8” em Monção no próximo domingo por isso… 

Nos primeiros três minutos deste vídeo podem ver o (des)apoio dêdêrriano

Cortesia de Edumad