Skip to content

Há putos assim!

Segunda-feira, Julho 8, 2013

QUEM VAI PARTICIPAR NA EMOCIONANTE  PROVA DE BTT “ROTA DOS MELÕES”, ONDE ESTARÁ EM JOGO UM LEITÃO,

PAGO PELO VENCIDO NO DUELO DE TITÃS  ENTRE O PEDRO vs NELSON, DEVERÁ COMPARECER NO RAFAS ÀS 08H20

10jul 22h08

por: Filipe Correia (Futre)

O TREINO DO FUTRE

399Outra vez atrasado por força da intensidade da arte do (chaspiscanso) que me deixa pouco tempo livre para a literatura.
Pois bem a mim o que me tocou este domingo foi mesmo uma missão solitária.
Pois é no domingo passado levantei-me como de costume ao domingo por volta das 8:45h para me equipar tomar o pequeno-almoço e arrancar em direção a praia para me encontrar com o resto do grupo no sitio do costume nesta curta viagem debaixo já do calor muito forte, apesar da hora de inicio de manha e da grande azafama dos milhares de veraneantes que nos visitam sempre que a meteorologia promete um dia de sol que desta vez foi mesmo escaldante e a praia da Apúlia não ficou nada a dever a alguns destinos turísticos que continuamente vendem sol e praia.
Quando cheguei ao habitual ponto de encontro por volta das 9:10h, não era cedo mas também não era tarde e qual não e o meu espanto quando reparo que nenhum elemento do grupo se encontrava lá, o que teria acontecido? Comecei logo a perceber que alguma coisa me tinha passado despercebida, fiquei fodido. Quando isto acontece costumo voltar para trás e troco de montada e vou fazer estrada, mas desta vez estava muito calor e então decidi arrancar em direção ao mundo sozinho e sem medo nenhum a pensar no que teria acontecido aos outros. Antes ainda liguei para um dos que não costuma falhar para saber o que se passava mas não atendeu devia estar em cima … da bicicleta.
Foi então em direção a Fão, Gandra, Palmeira de Faro onde o calor já era tórrido e ai parei e meti a cabeça debaixo da torneira da fonte das raízes para me refrescar e pensei se deveria continuar ou não pois o calor estava a tornar-se insuportável mas como gosto de desafios continuei e tentei escolher trilhos com muita sombra e decidi subir ate ao monte de S.Lourenço, e já la em cima virei à direita e fui apanhar o trilho do luso galaico deste ano, em sentido contrario que me levou as lagoas do Meril, perto dos feitos para me refrescar.
Logo na primeira lagoa dei dois mergulhos com o equipamento vestido e tudo. Depois desci em direção à cascata e com surpresa reparei que tinha havido uma intervenção na lagoa que a tinha tornado numa enorme piscina natural de fazer inveja a alguns locais no geres. Bom foram mais dois mergulhos vestido e tudo e desfrutar deste sitio pouco conhecido mas passe o exagero é paradisíaco. O curioso e que fiz estes quilómetros no monte sem encontrar ninguém o que é quase situação única. Depois tempo de regressar primeiro em direção aquela casa com uma cor bizarra depois Vila Cova, P. Faro, Gemeses. Escusado será dizer que ao fim de 5 min. O equipamento estava completamente seco e a água do bidão já tinha acabado.
Então vendo um homem com uma mangueira a jorrar agua em abundancia e muito bem acompanhado que segundo percebi tentava lavar um carro mas estava mais na galhofa do que outra coisa decidi então parar e pedir agua o que eles acederam com algum divertimento. Depois de encher o bidão não resisti em meter a mangueira pela cabeça abaixo. Depois de todo encharcado o individuo perguntou-me se queria que me passa-se o champô do carro e prontamente respondi que não valia a pena gastar o champô da viatura num rafeiro como eu, claro que se a oferta tivesse vindo da bela companhia que nesta altura já mais parecia estar a participar num concurso miss t-shirt molhada a resposta teria sido afirmativa. Já mais fresco foi fazer o resto do caminho ate casa.
Por fim resta-me cumprimentar todas as pessoas que visitam ao nosso blog em especial os nossos emigrantes. Um abraço

Há putos assim!

Apesar de sermos um grupo consistente o que hoje pedalou desde P.Lima, P.Barca; de termos perdido o Paulo Pinho no regresso de P.Barca; do banho refrescante no rio Lima e da visita obrigatória à tia Márcia que nos esfolou bem; dos quatro sortudos: Paulo e Milo Pinho, Seara e Alexandre que foram contemplados com a viagem de Apúlia, P.Lima, Apúlia num bruto jipe descapotável, enquanto os outros três, Filipe, Chico e Narciso se contentavam numa carrinha cheia de armadilhas e de só ao fim de três horas darmos conta de que o Futre nos tinha telefonado para esperarmos por ele. Apesar de ter sido um treino com qualidade de vida, não me apetece falar mais do que isto, até porque ultimamente os treinos de quinta tem tido muita relevância desde que iniciamos os treinos para o rally das tascas que se vai realizar em Agosto na freguesia de Retorta.

Nem vou falar das palavras mais estafadas por tanto serem repetidas durante a semana: – O calor e a crise política, esta protagonizada pelos dois meninos birrentos que precisavam que alguém lhes chegasse a roupa ao pêlo pela brincadeira de mau gosto que nos vai custar mais uns milhares de euros. Vou antes contar uma história peculiar de um puto mas que bem poderia ser a do Guilherme ou do Martim, os filhos de dois ilustres ddr:

o facto é que há putos assim…são especiais!

Num infantário a educadora está a ajudar um menino  a calçar as botas.
Ela faz força, faz força e, parece impossível: as botas estão muito apertadas.
Ao fim de algum tempo e a muito custo, uma bota já entrou e a outra já está quase.
Nisto, diz o miúdo:
– As botas estão trocadas!
A educadora pára, respira fundo, vê que o rapaz tem razão e começa a tirar-lhe as botas.
Mais uma dose de esforço e depois ela torna a calçar-lhas, desta vez nos pés certos.
Ao fim de muito tempo e muito esforço, ela é bem sucedida e diz:
– Bolas… estava a ver que não conseguia… custou…
– Sabe, é que estas botas não são minhas!
A educadora fecha os olhos, respira fundo e recomeça a descalçar o rapaz novamente.
Quando finalmente consegue, a educadora diz ao miúdo:
– OK! De quem é que são estas botas, então?
– São do meu irmão! A minha mãe obrigou-me a trazê-las!
A educadora fica em estado de choque, com a pulsação acelerada, vai respirando fundo, decide não dizer nada e toca a calçar novamente o garoto.
Mais uma série de tempo e, finalmente, consegue.
Por fim, diz-lhe:
– Pronto, as botas já estão! Onde é que tens as luvas?
Estão dentro das botas!…

Espero que ninguém leve a mal! Sorriam e boa semana

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: