Mais do mesmo…

– “Temos de ser uma equipa de homens”
– “Ganhamos ou fazemos as malas
(conferência de imprensa de ontem)

Pronto está explicado porque perdemos com a Alemanha para o campeonato do mundo de futebol: – nem toda a equipa era constituída por homens.
A sério, não sei qual o espanto dos portugueses por a equipa ter perdido esse jogo, acaso jogaram diferente dos jogos de apuramento? Só estamos no Brasil, como toda a gente sabe, graças à inspiração de um Senhor chamado Cristiano Ronaldo que nos derradeiros 45 minutos do jogo de repescagem com a Suécia nos apurou.
Falta 15 minutos para começar o segundo jogo, espero que desta vez a equipa se redima e ganhe, mais que não seja para adiar por mais uns dias o regresso a casa e para que o circo mediático esquizofrénico de 12horas em torno da seleção continue e as rusgas de S.João de amanhã sejam mais animadas.
Está na hora de começar o segundo jogo, vamos lá ver se a equipa desta vez carrega no primeiro botão e são uma equipa de homens .
Força Portugal !!!

…..

…acabou o jogo, deu empate com sabor a derrota, foi mais do mesmo. Carregaram no segundo botão, não ganharam e vão fazer as malas e regressar. A partir de agora é imperativo que a seleção de futebol feche para obras sem data para reabertura, é urgente regenerar toda a equipa se quisermos de futuro não sermos os cabeçudos do campeonato, desde jogadores a dirigentes, pois ficamos com a sensação que a maior parte dos dirigentes e acompanhantes foram passar férias de luxo com tudo pago. Meia volta os jornalistas queixavam-se que nunca viram tais personagens, embora soubessem da sua existência e, dos poucos que se deixaram ver foi em repastos onde parecia mal o palito ao canto da boca.

– Felizmente temos o grande Grande, Grande Rui Costa, campeão mundial de ciclismo de estrada 3º no ranking da UCI, (atrás de Alberto Contador e Nairo Quintana), para nos dar alegrias. Hoje voltou a ganhar a volta à Suiça pela terceira vez consecutiva, considerada a quarta prova mais importante da época, a seguir às três grandes “Tour, Giro e Vuelta”. E o Tiago Machado que venceu a volta à Eslovénia. Era bom que o selecção de futebol antes de cada jogo visse o vídeo destes dois grandes ciclistas para perceber o que é determinação e classe, como se trabalha no duro e o que é uma equipa de homens. Obrigado aos dois pelas alegrias que nos vão dando.

– O Nelson, ainda combalido de uma pé (ou será ombro?), pelos dez dias da epopeia vespariana pelos Alpes transalpinos, não apareceu ao treino, nem sabemos se aparecerá tão cedo (as melhoras Nelson). O Chico que tivera contacto com o nosso ilustre ddr, aventou que a causa da lesão se deveu a distração enquanto pilotava a sua vespa, julgou que pilotava a bike e que tinha os pés presos nos encaixes e… lá vai lesão…não fui eu que disse Nelson, foi o Chico…

S.Lourenço– O Tiago Costa, benjamim do grupo, hoje teve a sua primeira lição da arte de domar a burra por meio de maus escolhos: trilhos de S.Lourenço, estradões do monte de Belinho até à Sra da Guia e, uma vez aqui (era inevitável), como se desce pelo trilho empedrado até Antas. O formador foi o Bruno. A primeira foi de borla, mas as próximas lições Tiago, vais ter de trazer muitas moedas para comprar fichas…Grande Tiago, contamos contigo para a próxima

– O treino de hoje foi um regalo para purificar os pulmões aos sete ddr: Filipe, Chico, Milo, Futre, Narciso, Bruno e Tiago Costa.

P`ra semana há mais.

Ao Nosso Grande Amigo Nelson

01“Fazer a Côte d’Azur…é simplesmente fantástico…de Vespa ainda melhor…aconselho a todos especialmente de Nice ..Mônaco ( obrigatorio ir conhecer a cidade..fi-lo de noite da 01:00 às 04:00)… .um sonho… terminar em Mentom junto à fronteira com Itália…onde vou entrar agora rumo a Mantova.
…a melhor descrição é simplesmente indescritível ..só mesmo vendo ..”          Nelson Miranda  – 13/6

 

Em bem me esforço a tentar convencer a cambada que em vez de irmos a Fátima todos os anos por S.Jacinto, menos quando chove e vamos por Aveiro, devíamos alternar e ir ao Mónaco de vez em quando pelo Sul de França. Mesmo que demorassemos mais que os habituais três dias, fosse um bocadinho mais caro, tivéssemos de andar à comida pelos caixotes de lixo da Riviera, sim, porque onde mora gente tão rica, os caixotes de lixo devem ser melhor abastecidos que as nossas marmitas do Caminho de Santiago e, almoçar no parque de estacionamento do Pingo Doce lá do sítio, coisa que para nós não é novidade, era melhor do que a canseira de ir a Fátima e variavamos um pouco de itinerário e depois aproveitávamos para trocar as nossas experiências do monte, com os gajos da Côte, pois aquilo sem bicicletas, só com iates e Rolls Royces deve ser uma pasmaceira do catano. Ensinavamos-lhes a técnica de bem guiar uma bicicleta pelas pedras e pinheiros de Monte Carlo, que por lá deve haver deste material aos pontapés e eles ensinavam-nos a utilizar os seus Lamborghinis, no fim fazíamos uma rave, bebíamos uns copos e trocávamos os objetos das nossos experiências, apesar de ficarmos a perder porque com estes carritos teríamos muitas dificuldades em descer o monte de Gemeses e depois, ao que dizem, estes Lamborghinis modernos tem a mala muito pequena e não são muito praticos para ir às compras ao L´idl.
Como vês Nelson, tenho tudo planeado mas qual quê? O pessoal está com ela fisgada…ir a Fátima todos os anos é que é!  Bom! pode ser que agora com a tua ida a essas terras, embora de lambreta, mudem de ideias.

Mas, oh Nelson? Não estarás a exagerar com a tua descrição das freguesias por onde passaste? Tens a certeza que escreves-te Nice e vez de Nine? Não estarás a confundir a fantástica Costa Azul com os fantásticos Strunfs que tambem são azuis? Olha que andas-te muitos dias a levar com o poses de Co2 da lambreta da frente e sabes como é, com os neurónios defumados muitas vezes dizemos disparates como “de vespa é ainda melhor”.
Se conhecesses Peralhovixlandia, decerto não exagerarias tanto.
Mas se tudo o que nos contas é verdade, quando regressares vais ter de nos contar tudinho, queremos todos os pormenores, aqueles que correram menos bem serão os mais importantes para nos sentirmos melhor.
Nelson! Nós estamos é roidinhos de inveja pela tua fantástica aventura e como sabes a inveja é a primeira a descobrir todos os méritos.

Quanto a hoje:
– O Milo e o Manel foram caçar polvos, para alimentar a matilha mas, os nossos esforços para os encontrar foram em vão, não os encontramos no “Rego”, nem em parte alguma….
– O Tozé ressabiado por não ter ido com eles, às onze e meia trocou o fato de lycra pelo de mergulho e a burra pelo arpão e foi também catar polvos…será que foi?
– O Seara mais uma vez partiu a bike, mas como foi em serviço está desculpado…
–  Subimos até a um marco geodésico de 1ª categoria, nós agora não fazemos a coisa por menos só 1ªs categorias!!!
– Por ultimo os parabens ao Paulo Fernandes por ter participado no “Granfondo” no Gerês e ficado em 28º da geral e 4º na sua categoria-Parabens Paulo e parabens também ao “Pierre” dos X-Par.

Algumas fotos do Emilio Santos:

Nem K Kaya

Nem K Kaya

Hoje foi um dia do caraças!
– No Rafas, o Bruno à civil, por lá ficou quando arrancamos sem dar explicação ( e tinha de dar?)
– O Nelson, montado na lambreta, continua a nobre tarefa de ser bem-sucedido até italia. Se quiserem vejam aqui em que ponto vai as suas conquistas
– O Chico que aderiu à tóleria das lambretas que tem abalado o país nos ultimos tempos, andou todo o dia a lambretar algures por aí…
– O Mota tambem lambretou alhures.
– O Seara deixou tudo por ela!
– E nós, começamos a dar ao pedal e, contra a corrente, na ponte de Fão encontramos o Bruno Lopes bastante apressado. Nem deu para reparar se em bike de estrada ou terra, tal era o gás!
– Tambem contra a corrente, em Gandra, o Luís Neves com dois adjuntos passaram por nós com um gás do caraças, seguido sem o saber pelo Nuno Martins a chefiar uma equipa bem composta em alto speed… dos Amigos da Montanha?
– Contra a corrente destes bandos de PROS, continuamos com o objectivo fixo de alimentar a panca que nas últimas semanas se apoderou de nós: escalar o monte de Gemeses, para depois nem K Kaya, inventar maluqueiras a descer, e, assim…
– O Futre, seguido pelo Hélder e Narciso, terrores da montanha como toda a gente sabe, manhosos e sorrateiros conhecedores dos hábitos dos quatro rafeiros às suas frentes, na subida deixaram-nos  avançar mas depois passaram-lhes a perna e chegaram primeiro e por eles esperaram um ror de tempo, eh,eh
– E as pinhas para o arremesso da emboscada preparada pelos Filipe, Milo, Rui e Tozé, pois destes rafeiros se tratavam, para bombardear os três finórios, foi gorada e acertaram-lhes nos pés, eh,eh
– E, se na primeira vez a descer, correu tudo bem, na segunda não foi bem assim:
– E o Filipe lá por ser chefe, não está imune aos trambolhões e eu por ter chegado atrasado com o dropout em fanicos (qual César Nogueira na Isabelinha), fui o único que o não viu de cangalhas.
– O burra do Milo, equipado à pipi-das-meias-altas, ficou sem tração por causa dos linguetes, fartou-se de dar porrada na roda e a desgraçada não morreu porque por milagre no nosso spa de acquadapedrafurada, onde três valentes duros tiraram um argueiro do olho do buraco, estavam lá o César e o Eurico Cunha dos X-pares, em meditação transcendental, para a ligar à maquina.
Por tudo isto, foi um dia do caraças que fatalmente teria de acontecer nem K Kaya(mos) e o mais curioso sem vestígios de stress…
E por falar em stress: sabem porque é rara a depressão masculina? Não sabem? Então aqui vai a explicação:
– Não engravidam.
– Os mecânicos não lhes mentem…
– Nunca precisam procurar outra área de Serviços para encontrar uma casa-de-banho limpa
– Rugas são traços de carater…
– Barriga é prosperidade!
– Cabelos brancos são charmosos…
– Os sapatos não lhes apertam os pés.
– Conseguem ir sozinhos à casa-de-banho
– As conversas pelo telefone só duram 30 segundos
– Para férias de 5 dias, apenas levam uma mochila.
– Se na mesma festa aparecer outro com uma roupa igual, não há problema.
– Cera quente nem cheiro
– Ficam a assistir a um programa de televisão com um amigo, em total silêncio, durante várias horas, sem ter que pensar: ”ele já deve estar cansado da minha companhia”
– Se alguém se esquece de os convidar para alguma festa, continua a ser seu amigo.
– A roupa intima que usa pode custar no máximo 20€ (em pacotes de 3).
– Três pares de sapatos chegam e sobram
– São incapazes de perceber que a roupa está amarrotada
– Usam o mesmo corte de cabelo durante anos, aliás décadas, sem problemas.
– Meia dúzia de cervejas geladas e um bom jogo de futebol na televisão são o suficiente para passarem horas divertidos
– Os Shopping Centers não lhes fazem falta
– Podem deixar crescer o bigode
– Se um amigo lhes chamar gordo, careca, etc, isso não lhes abala em nada a amizade, aliás, é prova de uma grande amizade.
– São capazes de comprar os presentes de Natal para 25 pessoas, no dia 24 de dezembro em no máximo, 25 minutos!
– Para um churrasco, só precisam de carvão, carne, sal grosso, uma faca e uma tábua e, no máximo umas calças, para limpar os dedos sujos de gordura
E o pior é que tudo isto é verdade…

Algumas fotos do Eduardo Campos Tozé:

Pelo Pitoquinho de Belinho

Pelo Pitoquinho de Belinho

Estamos fartos de promessas vãs, do genero “amanhã não falho, às nove estou no Rafas”. Nos nossos treinos só aparece quem quer, quem tem espirito de militancia, quem gosta de se divertir, quem gosta da natureza, quem é um bocado amalucado, quem gosta de sociabilizar, quem não se chateia com o rumo dos treinos, quem é resingão, quem gosta de todas as marcas de cerveja e vinho e gin e martini e boa aguardente e…okay… sumos. Só não tem lugar quem faz falsas promessas

Quem não teve tomates para sair da cama cedo, num dia como o de hoje, não sabe o que perdeu: a oportunidade de escalar com uma equipa de duros o ponto mais alto do concelho de Esposende o “Pitoquinho…” num dia magnifico.

“ Situado na zona sul de Belinho, o monte castro (Pitoquinho), é o ponto mais alto do concelho de Esposende, com 237 metros. Um local muito belo que é parecido com um vulcão. No seu cimo encontra-se um marco geodésico e mais uma vez uma vista maravilhosa: desde o Monte de Santa Tecla, em Espanha às chaminés da Petrogal, em Leça da Palmeira (um ângulo de visão de 200 km). Nos dias mais límpidos pode-se ainda avistar o monte do Sameiro, em Braga.”
   in Wikipédia

…e hoje foi um desses dias límpidos. Já tínhamos trepado algumas vezes o monte até ao marco geodésico. O acesso é relativamente fácil, embora em algumas partes tenhamos de desmontar e arrastar as burras, vale a pena despender algum esforço para apreciar a magnifica paisagem do cimo e, hoje fomos compensados como nunca, com uma visão soberba sobre as povoações da redondezas e até à refinaria de Leça e Viana e Braga. Por lá nos demoramos algum tempo em estado contemplativo ao mesmo tempo que aproveitavamos para regenerar os pulmões de ar puro.

A certa altura o Bruno interrogou-nos qual seria a ordem de importância do marco geodésico. Ninguém soube responder e muito menos que estes “Pinocos” tem ordem de importãncia. O que toda a gente mais ou menos sabia é que são pontos de referência geográfica construídos em pedra ou cimento espalhados por todo o país nos pontos mais altos.
Para quem não sabe ou já se esqueceu, a Wikipédia, ajuda-nos a compreeder melhor sobre este assunto geodésico:

“Um vértice geodésico (popularmente chamado “talefe” em Portugal, e “Pinoco” no Norte de Portugal) é um sinal que indica uma posição cartográfica exacta e que forma parte de uma rede de triângulos com outros vértices geodésicos. São escolhidos sítios altos e isolados com linha de visão para outros vértices. A rede geodésica portuguesa é formada por vértices geodésicos que se dividem em três ordens de importância:
1ª Ordem – pirâmides distando 30 a 60 km
2ª Ordem – cilindro + cone listados distando 20 a 30 km
3ª Ordem – cilindro + cone distando 5 a 10 km”

Por esta definição o “Pinoco” de Belinho será de 2ª ordem.

Bom! Hoje aprendemos mais qualquer coisa sobre os pontinhos de cimento no alto dos montes e serras mas, agora deixemos os pinocos em paz. A descida fez-se por um trilho diferente da subida, virado a este, por um single track invadido por silvas a dificultar a nossa passagem, mas com troços muitaaa radicais, este single deu para brincar um bocado, que o diga o Rui o Emilio e o Filipe que repetiram a graça diversas vezes com as radicadidades amalucadas do costume.
Concluída a missão Pitoquinho, prosseguimos pelos agradaveis estradões de Belinho até Vila Chã e depois demos asas as burras e deixamo-nos voar pela descida da Abelheira e só paramos em Criaz para fazer uma incursão à pista improvisada de XCO onde hoje se realizou a sexta e ultima prova do plano promoção. Depois sim, terminamos em beleza no café John ao mesmo tempo que os X-pares terminavam tambem o seu treino.

Os ddr: Filipe, Manel, Emílio Santos, Milo, Paulo Santos, Rui, Narciso, Tozé e Bruno

Algumas fotos do Emílio e Tozé e três para ilustrar a lição sobre os pinocos: