Skip to content

Grandofondices

Terça-feira, Maio 5, 2015

Grandofondices

1.Esta crónica é dedicada ao Milo, o nosso companheiro que estava inscrito com o dorsal 682 no Douro Mediofondo e que um valente empeno privou-o de estar presente. As melhoras rápidas Mailo porque precisamos de ti, pois os gajos que temos no grupo p`ros picanços, são muito fraquitos.

2.Hoje como se impõe, é para falar do Granfondo, prova de ciclismo de estrada que se realizou a partir da cidade de Peso da Régua e estendeu-se numa distância de 175km, o percurso mais longo (o mais curto tinha menos 65km), pelas vilas de S.João da Pesqueira, Carrazeda de Ansiães, Alijó, Armamar, para terminar onde começou, em Peso da Régua capital da região demarcada do vinho do Porto.
Todos os amantes da boa pinga e da natureza deviam visitar esta região, património da EUNESCO, de vez em quando e extasiarem-se com a beleza da primeira região vinícola demarcada do mundo desde os tempos do Marquês de Pombal, com vales profundos e os imensos socalcos das encostas serranas cobertas de cepas vinhateiras onde se produz o vinho generoso mais famoso do mundo e dos melhores de mesa.

3.Os ddr estiveram presentes com um séquito de oito elementos, participaram não por ser uma zona de boa pinga (também), mas porque sim, porque lhes apeteceu, pela curiosidade, pela paisagem, pela experiência, porque as zirinhas do pixe tambem tem direito a monstrar o seu valor para que foram feitas e havia cada uma mais bonita e bem artilhada, reluzentas, de todas as cores, de marcas com nomes sonantes e tambem havia marcas com nomes esquisitos, montadas por jockeys vestidos a rigor comós profissionais das grandes equipas, com equipamentos garridos por baixo dos inevitáveis impermeáveis, a chuva assim obrigou pelo menos no inicio onde caiu com mais intensidade.
Dado o inicio da prova, com os ciclista atentos para não tocar no parceiro da frente e dos lados e ficar de cangalhas na fotografia, toda a gente se safou sem cair e depressa começaram, ainda cheios de pica a dispersarem-se ao longo estrada 222 recentemente eleita a melhor do mundo no troço da Régua ao Pinhão (apre esta região tem tudo do melhor do mundo).
Com o decorrer dos kms, notava-se que alguns atletas a perder rotações e a evoluirem devagar em cima das burritas lindas, eram uns tesos do caraças, sem dinheiro p`ra comprar aqueles kitezinhos de que falamos aqui há uns tempos, lembram-se? Que se introduz dentro do quadros ou na roda do pedaleiro sem ninguém saber, mas que dá outro animo à burra e a faz relinchar de prazer e correr mais depressa em direção à meta assim comó montador, que pode tirar mais partido da sua montada vistosa e ficar bem classificado. Por mim, já comecei a juntar dinheiro para comprar uma coisa dessas.

4.Má sorte o tempo chuvoso, que privou toda a gente e em particular a cambada cinco dos oito ddr, de desfrutar plenamente do percurso de meio fundo, mesmo assim durante a refrega houve tempo para tudo, para tirar fotos sempre que surgia uma paisagem esplêndida e foram tantas; próximo de Armamar em Vacalar, para tirar o retrato com os Caretos, figuras típicas do carnaval com máscaras de pau, famosas nas freguesias de Podence e Lazarim em Trás-Os-Montes com ramificações no Douro; de parar para ouvir a tocata de um grupo organizado de cinco homens e uma mulher que fizeram questão de esgrimir as suas concertinas com modas folclóricas para animar a malta das bicicletas. Enfim os cinco ddr fizeram um percurso gourmet, não o de 15km que tambem fez parte dos granfondos, mas o de 110km, só foi pena não ter havido oportunidade de visitar uma prova de vinhos e petiscos da região, deste modo o meio fundo ficaria completo e, não aceito que o Tozé porta voz do bando do cinco e o Seara brinquem com coisas sérias ao apregoarem aos sete ventos que foi das provas mais duras em que participaram.

5.A chegada da prova do meio fundo, foi emocionante com o vencedor Jorge Salgado do CD Navais a cortar a meta por escassos cms do 2º calssificado. Grande sprint, Grande Catota.

6.No fim todos os ddr`s se divertiram e gozaram à sua maneira, O Paulo Fernandes, formatado para outras andanças terminou em 26º da geral, assim como o Tiago Seara em 112º, depois o Nelson Miranda em 524º e o bando dos cinco constituídos por: Chico, Filipe, Emílio Santos, Bruno e Tozé de 630º a 633º. Parabens ao Paulo Fernandes, ao Seara e Nelson e aos cinco que formaram uma bela matilha de cinco rafeiros do princípio ao fim.
Uma nota para os nossos amigos Celestino Faria em 14º da geral, do João Pedro Faria que fez o 69º e a figura do dia o Rui Vinhas que sem complexos atacou e fez os 110km com a sua burra montanhesa.Parabens.

7.De resto fotam uns Granfondos bem conseguidos e organizados pela Bikeservice, feliz ao implantar uma prova de ciclismo em pleno coração do Douro, homenageando-o, dando a conhecer a mais de dois mil ciclistas e não só, esta região fantástica, moldada pela mão humana ao longo de séculos.

Foi uma festa bonita pá, e tu não foste!

Algumas fotos surripiadas ao Eduardo, ao Miro, ao Chico e ao Tozé:

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: