Skip to content

SS & festibike

Segunda-feira, Outubro 19, 2015

1.E, se há duas semanas o Chefe foi o único que teve tomates para treinar orgulhosamente só debaixo de chuva, hoje foi a vez dos Elites SS (Seara e Solinho), levantarem os rabinhos da cama e sem se assustarem com a chuva, pudera, depois do banho de água e lama na maratona da Povoa, a chuva de hoje foi uma morrinha para refrescar e, sem receio montaram as alimárias e levaram-nas a pastar até um local, no dizer deles, muito interessante pelas margens do rio Neiva, no fim deixaram o recado para o resto da rafeirada, que é uma voltinha a ser repetida numa próxima oportunidade. É assim mesmo SS`s, hoje mostrastes porque fostes os melhores ddr`s no domingo passado e arranhastes os três do cimo do pódio que ficaram à vossa frente. Grandes durosderoer.

2.Mas não foi só o Seara e Solinho, os únicos que mostraram serviço este fim-de-semana, os ddr`s estiveram presentes no festival bike em Santarem, a maior feira de exposição de bicicletas e acessórios de Portugal, com as ultimas novidades e onde todos os importadores querem estar presentes.

3.Logo à entrada o stand da Bikeservice, chefiado pelo antigo vencedor da volta a Portugal Manuel Zeferino, uma tela gigante chamava a atenção dos visitantes com imagens dos granfondos do Douro e Gerês e com toda a mostra de artigos relacionados com a atividade da Bikeservice, sobressaindo os kits dos granfondos. Foi um prazer trocar dois dedos de conversa com o amigo Zeferino e, entre conversa relacionada com a feitura de maquetes de provas, ficamos a saber que brevemente vamos ter outro grande acontecimento velocipédico de nível internacional, o rascunho já está alinhavado. Não temos duvidas que vai ser mais um êxito com o selo de qualidade da Bikeservice.

4. Fizemos parte dos 90% de curiosos que visitaram o festival, que gostam de ciclismo, que tem afinidades com o desporto em bicicletas ou, simplesmente pela envolvência no bulício da festa.

5. No fim, ficamos com impressão que as novas bikes de estrada apresentadas para os profissionais foram desenhadas para proporcionar um coeficiente aerodinâmico cada vez mais baixo. Neste sentido, entre outras marcas, as bikes de plasma das Scott, S-Works, Trek e KTM, chamavam a atenção e deixava qualquer um a sonhar, o pior eram os preços a rondar os 12.000€. Bom, estamos a falar só das de top, porque na gama média pouco mudou.

6.Como é de tradição todas as marcas esperaram por este festival para apresentaram as suas novidades e no que respeita às bikes de montanha, a tendência de onze mudanças e um só prato do pedaleiro, começa a generalizar-se até em gamas mais baixas e a tendência é para o conforto com suspensões totais e cada vez mais sofisticadas. Os olhos foram inteirinhos para a S-Works Epic FSR29, com o notável peso de 8kg e tal, mas com o preço muito pesado de 11.600€.

7. Quase todas as marcas tinham a sua bike eletrica para comercializar, mas foi a marca Cube a que mais apostou nestas ebikes, com muita gente interessada a saber pormenores e até já se falou em realizar provas só com burras deste calibre.

8.As marcas como a KTM estão também a apostar em força nas fat bikes e ao ver tantos stands com estas bikes de pneus largos, parece que vieram para ficar e é o setor, segundo as estatísticas, que apresenta maior crescimento, como diziam no stand da KTM, isso deve-se ao fato de ser a forma mais simples de locomoção individual em ambientes hostis, indo até só antes se chegava com veículos especiais, como jipes, motos e moto da neve por ex.

9. As bicicletas de roda 26”, passaram definitivamente à história e as 27,5” seguem-lhes o mesmo rasto.

10. Outro setor que tambem nos chamou a atenção, foi o dos suplementos energéticos e ao ver tantos stands ocupados e recheados com milhentas soluções para todos os momento de esforço, dando a entender que ninguém funciona sem estes turbos, para competição ou passeios em família, há para tudo.

11.No vestuário, as empresas do norte dominavam com varias sugestões de ofertas para personalizar equipamentos

No fim gostamos do que vimos, menos dos preços que continuam altos, quem quiser ter um bike razoavel ainda tem de despender umas boas centenas de euros.

Gostamos da festa, do espetaculo que os putos estrangeiros do dirt jumping deram com loopings de 360º e outras cabrioladas. Valeu a pena fazer os 629kms.

 

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: