Skip to content

Grandofondices 2016

Terça-feira, Maio 3, 2016

1.Todas as vezes que visitamos a região do Douro e são algumas durante o ano, não nos cansamos de admirar os vales profundos rodeados dos imensos socalcos nas encostas serranas cobertas de cepas vinhateiras onde se produz o vinho generoso mais famoso do mundo e dos melhores de mesa. Todos os amantes da natureza deviam visitar amiúde, esta região património da EUNESCO e primeira região vinícola demarcada do mundo desde os tempos do Marquês de Pombal e extasiarem-se com esta paisagem, única.

Infelizmente tambem descobrimos coisas de que não gostamos, mamarrachos a que chamam habitações em aldeias pitorescas de xisto, que não se enquadram de maneira alguma nesta magnifica região. Um mal em todo o país.

Foi neste cenário, que se desenrolou o Granfondo2016 com mais de 3000 ciclistas inscritos, sob o signo do AMOR, o tema escolhido para patrocinar este evento, em associação com a marca LOVE TILES.

2.Os ddr estiveram presentes em força, com um séquito de doze elementos: duas distintas senhoras para caminhar e dez para pedalar com as zirinhas do pixe e mostrar para que foram feitos. Como comentamos o ano passado, entre tantos ciclistas, havia cada zirinha mais bonita e bem artilhada, reluzentas, de todas as cores, de marcas com nomes sonantes conhecidas e outras nem tanto, montadas por jockeys que não estavam ali para brincar e algumas glórias de outros tempos, como o antigo campeão do mundo Francesco Moser e vencedor por várias vezes do Paris-Roubaix e Giro de Itália e alguns vencedores da volta a Portugal como Joaquim Carvalho, Venceslau Fernandes, Vitor Gamito senhores que outrora dominaram as estradas de Portugal, assim como o grande obreiro deste Granfondo Manuel Zeferino.

3.Dado o inicio da prova, com os ciclista atentos para não tocar no parceiro da frente e dos lados e ficar de cangalhas na fotografia, toda a gente se safou sem cair e cheios de pica atravessaram a ponte pedonal e ocuparam na totalidade durante 15 kms a estrada 222, ate voltarem à direita para a parede de 8kms até Tabuaço, o  1º de cinco montes.

Com um frio de rachar, a azafama no cimo do monte para receber os ciclistas era grande. Ao som de bombos, o primeiro ciclista passou isolado com alguma vantagem de um grupo perseguidor onde reconhecemos algumas caras dos quais: Ruben Nunes, David Vaz, seguidos por outro grupo onde se incluía o ddr Paulo Fernandes e um pouco mais atrás o João Pedro Faria, Eurico Cunha, Bruno Filipe dos X-par. Em ritmo mais lento, grupos dispersos passavam em silêncio, só quebrado pelo zumbido das correntes, prosseguiam sem parar no reforço.

Quinze minutos depois, arriba ao cimo da parede os primeiros ddr: Emilio Santos, seguido do Bruno e Arsénio e depois a nossa amiga Fernanda Loureiro dos Gilmonde btt, o Chico, Filipe, Milo, outro nosso amigo do Gilmonde btt José Augusto, Paulo Santos, David Lamotte e por ultimo o Berto Ribeiro. Num ápice como por magia, o recinto do abastecimento transformou-se num mar de gente desejosa de repor os níveis de glicogénio, sempre ao som da batida ininterrupta dos bombos. os ciclistas iam chegando em catadupa, alguns exaustos, com pouca rotação, a evoluírem devagar em cima das burritas lindas, uns tesos do caraças, sem dinheiro p`ra investir naqueles kitezinhos que se introduzem dentro do quadro ou na roda do pedaleiro sem ninguém saber, como fez aquela ciclista belga de 19 anos, Femke Van qualquer coisa, há dois meses  atrás, mas que dá outro animo à burra e a faz relinchar de prazer e correr mais depressa assim comó montador, que pode tirar mais partido da sua montada, dar nas vistas e ficar bem classificado.

4.Com um intervalo de 20m, desde a chegada do primeiro ddr,  os ddr recomeçarem de novo a encrenquilhar as zirinhas do pixe. Os brasileiros dizem que há 5 tipos de ciclistas: Escaladores, Contra-relogistas, Sprinters, Domésticos (que abdica do seu desempenho para ajudar a equipa) e os Passistas (que mantém o mesmo ritmo de competição por várias horas). Sendo assim os ddr, já vinham em modo doméstico desde a partida, com excessão do Paulo Fernandes e, continuaram monte acima, monte abaixo, monte acima, monte abaixo até S. João da Pesqueira para depois rolarem os 40kms finais, até à meta onde os esperavam o David Lamotte e o Berto que há muito tinham terminado o minifundo e as duas senhoras Eulália e Maria José, que também tinham terminado a caminhada gourmet pelas margens do Douro.

5.Alguns dados estatísticos deste 2º Douro Granfondo num dia maravilhoso, que se realizou a partir da cidade de Peso da Régua: cortaram a meta 2673 ciclistas, divididos pelos três percursos: o mais longo de 162kms até Alijo, foi terminado por 716 ciclistas; o médio com 112km até S. João da Pesqueira foi o mais concorrido com 1606 ciclista a cortarem a meta e o mais curto de 60km, até à vila de Tabuaço, por 351 ciclistas.

6.Parabens a todos os ddr, sobretudo os sete do médio fundo que optaram pelo modo doméstico do principio ao fim, evitando uma clivagem acentuada de tempo entre o grupo e apesar da dureza sobretudo do 3º monte, acabaram por se divertirem imenso. O Paulo Fernandes, formatado para outras andanças terminou em 9º na categoria.

Temos que registar também as performances dos X-par, João Pedro Faria em 20º na categoria e o Eurico Cunha e Bruno Filipe no Granfondo, os heróis da jornada entre os Apulienses em 86º e 88º na categoria A. Claro que tambem temos de dar os parabens aos nossos amigos do Gilmonde btt, Fernanda Loureiro que fez uma excelente prova no Minifondo, ficando em 3º na categoria a pouco mais de 30 minutos do vencedor e ao José Augusto. Parabens a todos

7.Mais uma vez a Bikeservice, está de parabens, foi uma prova extraordinária, bem organizada, feliz desde o momento em que implantou uma prova de ciclismo desta envergadura em pleno coração do Douro, homenageando-o, proporcionando um dia memorável a mais de três mil ciclistas e dando a conhecer a todo a país, esta região fantástica, moldada pela mão humana ao longo de séculos.

Foi uma festa bonita pá, e tu porque não participas-te?

Obs: esta grandofondice é dedicada ao nosso amigo ddr Tozé, que por causa de trabalho surgido na véspera, não pode estar presente, assim como a todos os nossos ddr emigrantes especialmente ao César Nogueira que  bem gostaria de ter participado.

vídeo  Os ddr a 20kms da meta

Algumas fotos em Tabuaço, desde a passagem do 1º ciclista até à chegada dos ddr:

 

 

 

One Comment leave one →
  1. cesar nogueira permalink
    Quinta-feira, Maio 5, 2016 13:55

    ola ddrs residentes , vamos a ver se para o ano que vem se eu tambem entre nesse grande evento grandfondo,pelas fotos e mais algumas cusqui-se via face ate fiquei fdddd em não participar, bem não pode ser tudo amigos.aqui vos deixo um grande abraço boas pedaladas

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: