Skip to content

A silly season

Domingo, Setembro 18, 2016
dsc_0123

João da Silva, o ddr mais recente

1.Faltam poucos dias para terminar o verão, a época de férias por excelência está a terminar, três meses de silly season, um estrangeirismo que os jornalistas gostam de usar para lembrar que é a altura do ano em que as coisas mais parvas acontecem e que aos privilegiados que tem férias é-lhes permitido fazer mais disparates que nos outros meses, sim privilegiados, porque há muita boa gente que não pode gozar férias nesta altura e outros obrigados prescindem delas para fazerem uns biscates que lhe permitam angariar mais uns eurecos ao fim do mês para tapar o esperado buraco no orçamento doméstico com os gastos excessivos com toda a parafernália dos putos na rentrée na escola ou universidade e depois há sempre mais qualquer coisa a juntar-se à festa que acaba em definitivo com a ténue esperança de gozar pelo menos  alguns diazitos de férias, que tanto pode ser o arranjo da carripana, a reforma da máquina de lavar que meia volta endoidece aos pulos a dar cabeçadas contra a parede da garagem, ou um frigorifico que declarou guerra ao frio, um esquentador papa-gás, a ameaçarem dar o berro a qualquer momento, e… trocar de bike ou na melhor das hipóteses artilha-la com o material mais in do mercado, mas este é um assunto muito delicado que nem devíamos e não vamos falar nele e já se sabe que para estas coisas é preciso carcanhol e o deve e haver do pré ao fim do mês é à justa e o subsídio do 13º mês não estica e se queremos mesmo um orçamento retificativo para fazer face a estas desgraças, não resta  outro remédio senão vergar a mola nas férias, nem que seja a arrumar carros.

2. E os ddr que disparates fizeram nas férias?
Mesmo com alguma falta de mão-de-obra, que sempre acontece na tal silly season, os durosderoer nunca deram tréguas às burras e aproveitaram muito bem os meses de verão para parvoniarem-se por aí: em  julho, na companhia do mais recente membro ddr João da Silva, sobressaiu aquela tentativa do sub chefe, durante a rota dos melões, para derrubar um muro de betão, mas o máximo que conseguiu depois de abalroar a fat bike do Cunha foi uns esfarrapanços  jeitosos;

Em agosto, o king`s stone da Corsega Virgilio Souto, um projeto de ddr sempre adiado, rendeu o João da Silva – que entretanto regressou às americas -, pedalou connosco com o intuito de ser programado para cumprir a promessa de 260km até à Cova da Iria e a coisa deve ter sido tão traumatizante que o Gilo`s stone depois da promessa cumprida, nunca mais foi visto a dar ao pedal, consta que mais tarde queixou-se que a culpa foi nossa porque o abandonamos como se fosse um rafeiro, o que é totalmente mentira pois sempre o consideramos como um perdigueiro.

14258258_1109891202425811_5486219304260516352_o

Bruno Monte em pleno no Vila do Conde Peneda Gerês

O Bruno Monte, com o barómetro da forma a subir em flecha a cada dia que passa, coube a responsabilidade de representar o grupo durante os três dias do Vila do Conde – Peneda  Gerês Extreme btt e devorar os trezentos e tal kms  de comprimento de ida e volta, portou-se tão bem, que ao fim de uma semana já estava quase recuperado da coça dos sete mil e quinhentos  metros de acumulado. Campeão.

Um quarteto formado pelo Chefe, Futre, Seara e Arsénio cumpriram mais uma vez a tradição anual da subida à Sra do Minho e a descida pelos trilhos macacos parte-costados-e-burras, até à meta no Caçana, distinta tasca em S.João da Montaria, especializada em sangria e petiscos, onde este quarteto que não foi lá só para brincar, lhe infligiu um rombo de grau 8.

Outro quarteto de top`s; Emilio Santos, Tozé, Bruno e Arsénio, fizeram jus ao nome do grupo, escolheram o dia mais quente do ano, para subir o Cerquido até à serra D`Agra, só p`ra duros ou doidos, depois queixaram-se – pelo menos um – que ficaram mal dispostos, mas não foi por causa do calor, ou seria?.

14051819_10208500922653996_2851080594450649438_n

O quarteto do Caçana

No principio deste mês, os ddr pularam a cerca e foram curtir durante dois dias, os sons da natureza da Proriver na Barca do Lago. Foram dois dias porreiros, envolvidos com trails e canoas mas houve duas coisas que não correram bem.

No primeiro dia, o sub chefe prometeu aos participantes durante o duatlo, que haveria cerveja a rodos num determinado ponto e quando fossem a descer o rio nas canoas  os iria apedrejar da margem, mas foi só bluff, não cumpriu a promessa, para frustração de quem andou a juntar pedras e quem ia sendo apedrejado era ele por faltar com a cerveja.

No segundo dia, os ddr e a dupla Otávio e Esferobite (que raio de nome), fizeram-se convidados da Proriver e desceram o rio nos kayaks. Entusiasmados começaram a pagaiar freneticamente, pouco se importando com aquela coisa de remar sincronizados e foi neste frenesim desacertado que um eminente ddr deixou cair uma chave à água. Desolado, já em terra, prometeu que daria o corpo ao manifesto a quem por ventura – era como achar uma agulha num palheiro – a resgatasse do fundo do rio. Com um prémio tão tentador, toda agente afinou as pestanas e foi para a

dsc_0165

Chefe atento e previdente

sem-ti

kim kipa pazinho

área onde o estupor da chave se amandou borda fora da embarcação e, por incrível que pareça, não demorou muito que um ddr, com visão telescopia e propensão para milagreiro a encontrasse. Com a chave na mão o nosso PRO Bruno, de imediato e com toda a legitimidade reclamou o manifesto ao prometedor de promessas, mas não teve sorte.

Assim não vale e fica o aviso: as promessas são para ser cumpridas e quem as proferir em em vão pode ter vários azares, ser vitima de pragas e mau olhado e depois o grupo fica mal visto.Tá feito o aviso

3.No domingo passado, ainda com o nosso PRO de estimação o indómito César Nogueira, um grupo enorme de ddr como há muito não se via, cavalgou por entre pinhais queimados e outros ainda em fase de rescaldo – infelizmente vai ser por muito tempo esta a imagem que se nos irá deparar durante os nossos treinos – até à Sra da Guia e deu-lhes na bolha de descer por um trilhos parte-costas, o costume, felizmente só dois é que tiveram o bom senso de se mandarem para cima das pedras, mas só valeram os pontos para o recruta Martinho e hoje ultimo fim de semana de verão não havia necessidade dos pontos que o Milo angariou no game over da Franqueira.

4.E assim terminou três meses de silly season, para os ddr ainda faltam mais nove. Agora venha o outono e o dia 5 de outubro para a fazermos a rota dos trilhos sem sol, é já daqui a duas semanas e o nosso guia já está contratado.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: