Skip to content

O treino no dia das Mães

Segunda-feira, Maio 8, 2017

No Dia das Mães, textualmente assim escrito numa montra de uma loja  comercial, fizemos um treino on road do caraças, foram mais de 100 kms, biulentos e em condições extremas de dureza, uma espécie de pre aquecimento, para a tradicional ida até Fátima, a 16ª, no próximo sábado, que este ano coincide no dia 13 e com a presença do papa Chico, infelizmente não vamos estar com Ele, porque quando bicichegarmos a Fátima no dia 14, Sua Santidade há muito que se pirou, de resto, não precisamos de nos encontrar com SS, porque nós também temos no grupo um Chico que… papa muito bem.

Tambem neste dia das Mães (a partir de agora o dia de Natal, passa a chamar-se dia de Natais), três duros comó…coiso, César Nogueira, Bruno Monte e Eurico Cunha, não quiseram saber da nossa biulencia treinante para nada e foram laurear a pevide para o Granfondo do Douro que, nós os duros d`hoje, também tínhamos a intenção de participar, mas como perdemos a intenção há uns meses e nunca mais a encontramos, desistimos e hoje pagamos a fatura do esquecimento, com a tal biulencia até VPA (mais um enigma para o Martinho decifrar) e deixemos que vos diga, foi muito pior que a brincadeira das subiditas à Cedovem do Douro.

Começamos a trabucar cedo, às 8 horas já quase todos tinham tomado o cafezinho para acordar de vez, só faltava o gajo que está a escrever estes disparates, quando arrancamos. Ai que saudades do tempo em que começavamos a bulir a partir do Rafas em direção a Cedovem. O Futre uma ovelha que nos últimos tempos tem andado tresmalhada, quando tentou juntar-se ao rebanho, já estávamos próximo de Chafé e assim lá teve de continuar tresmalhado. O pelotão rolava compacto com sucessivas mudanças de comando, ora puxava o par Seara e Milo Santos, ora o par Milo Santos e Seara, de quando em vez ouvia-se uns raters do meio do pelotão, seguidos de uns cheiros entranhos a…borracha queimada, o esforço era imenso, as subidas brutais, então aquela subida da ponte de Viana e a curva na ponte, foi demais e, só de pensar que poderíamos estar na boa a divertirmo-nos pelos montesinhos do Douro, dava-nos cá uma volta à cabeça. Com mais subida, menos subida, sempre com altas altimetrias, assim foi até VPA, com médias altissimas e com alguns ET amadores a aproveitar a nossa boleia.

Em VPA, uma multidão enorme esperava por nós, só não fomos recebidos com ao som do estralejar de foguetes porque o Miguel, gastou-os todos durante a epopeia velocipédica. Emocionados por termos concluído a primeira etapa, aproveitamos uma vaga no jardim das borboletas, para repor os níveis de glicogeneo e dar um pouco de descanso às burras cansadíssimas.

A segunda etapa com o mesmo grau de dureza, foi um pouco diferente, a partir de Darque optamos pela estrada do bife, por Amorosa até S.Romão do Neiva. Esta estrada tem fama de ter boas paisagens, mas desta vez, apesar do bom tempo, nem por isso, havia muitas clareiras sem nada de interesse, valeu a ponta final a descer para recuperar do esforço tremendo até ali. Embicarmos novamente na estrada em Antas e depois nas Marinhas, fizemos um segundo desvio para dar o prazer às gentes de Esposende de nos ver com toda a pujança a desfilar pela marginal.

2.Mes amis, vamos lá fazer uma listinha, do que faz falta para sábado, depois não digam que se esqueceram disto e daquilo.

As fotos que comprovam o esforço do brutal treino de hoje:

 

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: