Skip to content

Desafios

Segunda-feira, Novembro 6, 2017

Espalhados pelos campos e bouças, pedalando à vista dos muitos caçadores que nesta altura do ano pululam um pouco por todo o lado à procura da escassa caça ou fazendo manutenção às armas dando uns tiritos nas pinhas, os ddr, hoje com casa cheia, deram aso à liberdade em que o btt é pródigo e lançaram-se aos desafios, ora chapinhando na água, atravessando riachos – na verdade só dois é que o fizeram -, chafurdaram na lama e como não podia deixar de ser, partiram pedra e lenha com farturinha até mais não.

O primeiro desafio coube ao Martinho que, sozinho com a sua burra a fazer de muleta, atravessou a rigueira XXL do rio, e, como não teve seguidores e tinha o costado seguro pela água, pese embora a coragem de ter ficado encharcado até aos tomates, não o desculpa a forma incorreta como tratou mal o resto dos insignes membros dos ddr, aquilo foi do piorio, as bocas inqualificáveis que este rafeiro pronunciou da outra margem, não podem ficar impunes, a gerência tem de tomar medidas drásticas, tem de o castigar de forma exemplar, com todos os requintes de violência e malvadez, pois só assim os impolutos membros dos ddr se sentirão vingados na sua honra.

O segundo desafio, partir pedra a subir com 30º de inclinação, protagonizado pelo Tozé, esteve quase, quase a ser superado e só o não foi por causa de uma filha da…montana? Seria pontana…? De uma pedra mas, aqui o Tozé, ao contrário do Martinho, só ofendeu a pedra, a burra e a falta de jeito p`ra coisa. Fizesse como o Almeida que galgou a calhuada subida com a burra às costas como faca a entrar em manteiga.

Terceiro, atravessar um braço do rio, calhou ao Miguel, num local onde outrora o Solinho sénior, como nos contou, se esporrinhou a dar as primeiras braçadas na água suja e enlameada do rio Cávado, a principal causa de não ter chegado a top das cenas mundiais da natação. Rais parta a poluição que o tolheu nas braçadas e assim o privou quiça, de ser famoso.

Ora bem, não sabemos ao certo qual foi a causa da travessia do Miguel, presumimos que foi desafiar os patos do sapal, ou as minhocas do lodo mas, pensando melhor o mais certo foi a pancada ter reclamado que precisava de outra dose de maluqueira.

E foi deste jeito bem divertido, como nos velhos tempos dêdêrrianos, que terminamos os 45kms de treino, já a pensar na Avalanche ao Sarrabulho, daqui a quinze dias.

 

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: