MSG do Chefe!

Caros ddr!

Por um conjunto de varias circunstancias, ainda não realizamos o habitual jantar de fim de ano, vamos realiza-lo, quando a conjuntura for mais favorável, esperamos que brevemente, será jantar de principio de ano, ou até poderá ser jantar de carnaval, páscoa etc, afinal como diz o povo o natal é quando a gente quiser, o importante é que nos juntemos para debater os assuntos da nação dederriana.

Quanto ao programa das festas para 2020, o caderno de encargos será o mesmo de sempre e apesar de sermos ddr de longo curso, vamos começar o ano com navegação costeira e depois será conforme as oportunidades forem surgindo no entanto, iremos agendar algumas datas por uma questão de planeamento logistico

Não me vou alongar muito, deixo aqui, uma grande saudação a todos os duros de roer, em especial aos nossos ddr que lá longe continuam a ser grandes duros, ao Carlos Figueiredo agora investido nas novas funções de pai, parabens; ao João da Silva esse grande duro; ao Carlos Ribeiro e Cesar Nogueira, guerreiros de faca na boca e neste momento connosco e que ao longo do ano nos visitaram varias vezes e participaram em algumas aventuras connosco; ao nosso amigo Manel Souto e por ultimo ao Eurico Cunha, sublime atleta, artista, camarada e grande injinheiru, que a todos surpreendeu com a sua (in)esperada partida e deixou uma porrada de bikes orfãs das suas mãozinhas de ouro e um grande vazio no seio do grupo, mas a puta da vida é assim. Felicidades e voltem rápido para o grupo não continuar manco e porque também tendes o dever de aturar os insubstituíveis patifes Tozé o Miguel e o Martinho.

Por ultimo não se esqueçam que amanhã, é dia de dar um mergulho no mar, louvável iniciativa dos nossos amigos “Apulia a Correr”, a que os ddr aderiram desde a 1ª edição em 2018, o tempo até vai colaborar. Bons mergulhos

A todos umas boas saídas e melhor entradas.

BOM ANO 2020!

O chefe

Filipe Torres

Nem K Kaya…

Na sexta feira, no calor das minis, tremoços e amendoins, juramos: Nem k kaya picaretas, domingo é para andar, já chega de mandriar tantos dias – e, cumprimos o juramento e, andamos por aí, a chafurdar na lama, a atravessar lagos, por cima de muita lenha sobretudo ramos partidos dos pinheiros e como estamos no advento, fomos revisitar o local sagrado do renascimento dos ddr: Perelhalvixlandia, mais bonito do que nunca, estava fascinante com uma queda de água muito forte pela cascata e depois o lago dividido em dois e no meio uma ilha. Perelhalvixlandia mostrou-se irreconhecível, magnifico, não nos apetecia sair dali, estavamos maravilhados com o cenário da fortaleza da água.

Hoje só faltou a tradicional volta pelo concelho, com o barrete do pai natal e a subida às arvores para o post de natal mas, como tínhamos falta de mão de obra para fazer algazarra, ficamo-nos por Creixomil e nem os trinta minutos de chuva intensa a cair no lombo, nos demoveu de cumprir o guião estipulado quando saímos do Rafas, dar uma vista de olhos pelos locais com mais estragos na costa causados pelo mau tempo. No meio da paisagem confrangedora dos destoços, encontramos o mar na preia-mar a fustigar as dunas e a invadir a zona ribeirinha da barra do Cavado, ao longo da costa avistava-se um manto branco da espuma a cobrir as dunas, deixado pelas ondas, dando a sensação que o mar tão voraz a destruir a costa, também quis associar-se ao espírito da quadra natalícia.

E foi assim que o grande grupo de ddr de hoje, Narciso e Soares, cumpriu o prometido na sexta feira  e deu asas ao pedal durante 50km.

BOAS FESTAS!

Perelhalvixlandia

Tanta fumaça

Pela amostra escura, quando saímos do “Rafas”, era fácil perceber que, hoje, dia de feriado duplo, para onde quer que nos dirigissemos, norte, sul ou este, haveria fumaça com fartura por todo o lado, só não estávamos à espera que fosse tão densa e tão molhada ao longo de toda a manhã, não nos dando treguas o tempo todo, vá lá só dois minutinhos p`ra banana.

No cimo do monte de S.Félix, os três gatos pingados, o termo é mesmo este, que picaram o ponto no “Rafas”, os únicos que mexiam por ali, não enxergavam mais paisagem para alem da distancia de 50m, aquilo estava mesmo cerrado a ponto de as luzes fazerem falta.

Demoramos pouco, para não arrefecer e com o guarda do escadório ausente, descemos as escadas em cima das burras e, arre macho para a Franqueira, via Rates, Vilar de Figos e subida ao Castelo de Faria por Milhazes e é sobre esta subida estepurada que deixamos aqui um alerta aos noviços do pedal que agora estão a começar, contra um grupo de pseudo-betetistas p`ra aí uns 12 ou 15, todos montados em burras elétricas e descaradamente a descer, para não se deixarem influenciar por estes artistas da preguiça que dão má fama ao betetismo.

Quando os três gatos pingados, quando chegaram ao cimo do monte da Franqueira, encontraram a fumaça pior e mais molhada que a de S.Félix e quando pensavamos que eramos os unicos, encontramos outro gato pingado da concorrencia com tiques de PRO a tirar fotos ao…nevoeiro, olhando com algum desdém avisando-nos com ar paternalista duro, a não pararmos muito tempo para não arrefecer. Porra, nós todos vaidosos com uma Scott novinha e mudanças eletricas e tudo e o gajo tratou-nos como se estivessemos montados em mulas lazarentas e velhas.

Hoje foi assim, em treininho maioritariamente por pavé para não estragar a estreia da Scott, a burra puro sangue e charmosa.

Não foi nada confortante andar 52km a levar com a chuva nas trombas mas depois de uma semana sem acertar num sinal das obras foi o que se arranjou.