Injinheiradas!

1.Esta cronica parte sempre de uma imagem, artística ou não e, hoje, houve muitas e boas imagens, não diríamos artisticas, talvez técnicas/fodidas, seja o mais real, retrate melhor o treino (?) d`hoje, o suficiente para cronicar sobre dois valorosos injinheirus.

Comecemos pelas críticas maldizentes/corrosivas, da cambada ddr, que, pode não parecer, mas que tiveram por objetivo incentivar os verdadeiros injinheirus, Martinho Anthony e Cesar Nogueira, para não desistirem de arranjar a burra espatifada do Soares que, num assomo de boa vontade resolveu partir o drop out.

Com a burra em fanicos, os dois valentes injinheirus, de imediato meteram mãos à obra, neste caso à burra e mostraram mais uma vez, do que são capazes, nós já sabíamos, mas agora confirmamos.

Como grandes profissionais, começaram pelo veredito  “o drop out está partido…”,  “tenho um novo”, respondeu o Soares “ah, mas precisamos d`uma chave”, mais uma vez o Soares “tenho aqui uma”; “…elo de engate…”, “também tenho…”; “chave para sacar o elo…”, “tá aqui”, o Soares tinha tudo o que os injinheirus precisavam, até uma panito – que tambem é usado na matança do porco quando este está dependurado de cabeça para baixo para pôr na boca -, para a injinheirada limpar as mãos no fim mas, há sempre qualquer coisa que falha, quando os injinheirus reclamaram um alicate para que a operação tivesse êxito, o Soares não tinha, que desilusão alguem sugeriu telefonar p`ra Suiça, para o grande injinheiru Eurico Cunha, o injinheiru dos injinheirus, a pedir um alicate, felizmente não foi preciso, o Bruno tinha um alicate e a missão drop out continuou a bom ritmo. O Bruno alem de contribuir para que os dois injinheirus ficassem bem vistos, ainda teve de aguentar com as bocas foleiras (ou seria para lhe agradecer ?), do Toze, pois quem mais haveria de ser. Para a proxima não há alicate para niguem e é muito bem feito Bruno. 

Ao fim de trinta minutos a burra ficou au point, para o que de mais duro aparecesse pela frente “está melhor do que antes de espatifada”, vangloriou-se o Soares, enquanto pedalava de novo feliz da vida

Grandes injinheirus,

2.Passado quinze minutos do final feliz da burra do Soares, o Milo tambem entrou na festa, não querendo ser repetitivo como o drop out do Soares, vai daí inovou e partiu o espigão, grande Milo. De imediato qual 112, os injinheirus rodearam o que restou do espigão para o sacar. Ao fim muitas tentativas para tirar os cinco centímetros de dentro do tubo do quadro, não houve nada a fazer, o estupor do toco ganhou aos injinheirus. O Milo, inconsolável, mas resignado ao destino teve de dar a volta à burra e até a casa foi aproveitando as oportunidades que a burra lhe deu para que se sentasse em cima do toquinho do espigão.

3.Toda a gente sabe que hoje existe muita ladroagem, que é preciso andar sempre com um olho no burro(a) e outro no cigano.

No nosso caso como é obvio, damos importância à segurança das nossas burras. Estão sempre debaixo d`olho, quando não as estamos a montar, no entanto existem sistemas de segurança que nos deixam mais descansados, desde app digitais com sinalizador, correntes com cadeados etc, mas hoje aprendemos como bem segurar uma burra para não fugir, um método muito eficaz e pratico, o problema é arranjar a churrasqueira um acessório muito importante para este modelo, como podemos ver na foto em baixo:

Ps: quinta feira dia 27, está previsto fazer o circuito do “Caçana”, com passagem pela Sra do Minho. Os interessados devem apresentar-se com as burras btt na Azoria. Para mais informações contactem o chefe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s